Amarrações com missas negras

Amarrações celebradas em Missa Negra

Amarrações, sobre as amarrações de magia negra

 

«O Diabo enlaça a juventude em beleza, o avarento em ouro, o ambicioso em poder»

Henry George Bohn ( 1796 – 1884)

Nos julgamentos de bruxas realizados em Dauphiné em 1428, soube-se de um padre chamado Johannes Cunalis. O padre exercia o seu oficio em Munique, na Baviera, e não apenas possuía um grimório de magia negra, como tinha celebrado pacto demoníaco. São inúmeros os casos de padres e freiras satânicas existentes ao longo dos séculos, ou seja, homens e mulheres com votos e sacramentos prestados a uma igreja, que porem subvertem esses votos, entregando-se em pacto demoníaco, e praticando magia negra. Nesses casos, produzem-se as mais fortes magia negras, e os mais temíveis trabalhos de magia negra. Tais magias, podem ser encontradas nos mais secretos e sinistros livros de magia negra, os chamados Grimórios. E é nesses livros, que a prática de amarrações feitas com recurso á celebração de missas negras podem ser encontrados.

No «compendium maleficarum» , ou o «Compêndio das Bruxas» de 1608, do padre Italiano Francesco-Maria Guazo (n. 1570)  , são descritas as varias finalidades para que uma bruxaria podia servir, assim como os seus poderosos  efeitos. O notório padre e demonologista observou pessoalmente casos de bruxaria, de magia negra e possessões demoníacas, tendo sido testemunha dos poderosos efeitos da magia negra, assim como da celebração de missas negras.

As missas negras há séculos que são celebradas, até mesmo por Reis e rainhas, quando necessitavam de ajuda nos casos mais desesperados, e para os quais não havia solução. Em 1580, uma celebre missa negra foi mandada celebrar por Catarina di Medici, a mulher mais poderosa de França. Os factos são descritos na obra «De lá Demonomanie de les Sorciers» de Jean Bodin ( 1530- 1596) A missa negra foi celebrada para a saúde do filho da rainha de França, a quem os médicos já não davam esperanças de vida. Porem, após a missa negra o filho da rainha recuperou, e viveu para se tornar rei.

O notório padre e ocultista Montagne Summers (1880- 1948),  ao debruçar-se sobre o assunto dos padres satânicos e das missas negras,  faz nota no século XVI, um padre de nome Benedictus causou grande escândalo quando se soube da sua participação em missas ímpias ou missas negras. O padre Benedictus tinha já sido fascinado pelos poderes da magia negra, e profanando os seus votos sacerdotais cristãos celebrou pacto com o demónio, tornando-se assim um bruxo e um padre satânico. E na verdade, o padre benedictus celebrou diversas missas negras a pedido do rei Carlos IX de França, ( 1550 – 1547), diante de quem o padre satânico oficiou uma Eucaristia satânica. Os trabalhos de magia negra celebrados pelo padre satânico Benedictus produziam resultados espantosos fosse com amarrações para assuntos amorosos, fosse para vinganças e assuntos que o rei gostava de tratar discretamente. Também o célebre bruxo Trois-eschelles du Mayne foi chamado á presença do rei Carlos XI, que lhe encomendou vários Sabbat satânicos e missas negras. O rei era um assumido satanista, e o bruxo executou-lhe vários trabalhos de magia negra que maravilharam o monarca pela sua eficiência.

Henrique III ( 1551-89), foi rei de França de 1574 a 1589. Era o filho de Catarina de Medici, a mulher mais poderosa de França, e que celebrou uma Missa Negra para salvar a vida do seu filho ainda em criança, quando todos os médicos davam o caso por perdido. A Missa Negra resultou, e o seu filho viveu para se tornar rei de França. Henrique III, tendo sido criado pela sua mãe dentro dos ensinamentos das velhas religiões pagãs, e tendo desde a sua juventude visto a mãe praticar bruxaria,  tornou-se um bruxo conhecedor dos segredos e antigas sabedorias da magia negra. Embora socialmente e por exigência do seu cargo real, Henrique III se apresentasse como cristão, porem sabia-se que na sua privacidade o rei era um bruxo. O rei mantinha consigo um círculo próximo de doze pessoas, que se sabia constituírem a sua colmeia de bruxos e bruxas. O rei venerava os velhos deuses pagãos num altar de bruxo, onde se encontrava a imagem de dois sátiros. Os Sátiros na religião grega da antiguidade, eram espíritos masculinos que podiam assumir a forma de um cavalo ou um bode, e nas suas representações apresentavam tanto enormes cornos, como vigorosos e viris falos erectos. O rei tinha duas estátuas de Sátiros de costas voltadas para uma cruz cristã, representando o culto satânico nas suas origens mais nobres. Henrique III, tal como a sua mãe, também celebrou missas negras, todas elas com reconhecidos resultados. Uma delas foi celebrada quando o próprio Henrique III foi vítima de uma bruxaria de magia negra lançada pelo Duque de Guise ( 1519-1563) que usou de uma imagem do rei para o amaldiçoar. A verdade é que após o bruxedo ter sido feito, o rei começou a envelhecer inexplicavelmente diante dos olhos surpreendidos de todos que o rodeavam. O seu envelhecimento prematuro erra impressionante, atendendo á sua jovem idade. O rei retribuiu da mesma forma, celebrando uma missa negra. A verdade é que uma vez tendo sido celebrada tal missa negra, o duque acabaria logo depois por falecer ás mãos de uma amante, que contam os testemunhos existentes, parecia ter sido subitamente vitima de uma violenta possessão demoníaca que a dominou. As missas negras de Henrique III e da sua mãe Catarina de Medici tornaram-se lendárias.

No seculo XVII, foi existiu uma celebre bruxa em França, de nome Catherine Deshayes.( f. 22 Fevereiro 1680) O nome pelo qual era comummente conhecida, era «La Voisin». A bruxa Catherine Deshayes era famosa pelos trabalhos de magia negra afrodisíacos que preparava, pelos trabalhos de magia negra que celebrava para a fertilidade, mas também cuidava de interromper a gravidez de quem se desejasse. Mas os mais celebres dos seus trabalhos, eram as amarrações de magia negra celebradas através de missas negras, pois os seus resultados eram lendários.Todas as figuras da alta-sociedade eram clientes frequentes, e no decurso da sua carreira, a bruxa Catherine Deshayes enriqueceu. Com parte da sua fortuna, comprou uma propriedade e nos jardins mandou erguer uma capela. A capela era secreta, privada, e nela eram celebradas Missas Negras. Apenas um círculo muito restrito de pessoas tinha acesso ás cerimonias de magia negra ali oficiadas, e onde a bruxa fazia o culto dos antigos deuses pagãos, agora tidos como demónios pelo cristianismo. Sabe-se  que a bruxa Catherine celebrava culto a Astaroth e Asmodeus, dois demónios particularmente poderosos em assuntos de luxuria, de fertilidade, e até mesmo de disputas. Nessa capela celebravam-se Missas Negras, assim como os sabbats satânicos da Colmeia fundada por  Catherine Deshayes, e alguns dos seus bruxedos celebravam-se usando de gotas de próprio sangue de bruxa , uma técnica oculta de magia negra. A verdade dos factos demonstrava que os seus trabalhos de magia negra eram fortíssimos, pois a sua clientela era vasta, exclusiva, e sempre disposta a pagar qualquer preço, pois os seus resultados eram surpreendentes. Sabe-se que entre os seus clientes estavam princesas, membros da família real, alta-aristocracia, frequentadores da corte do rei Luis XIV, e até o duque de Buckingham. Catherine constituiu a sua própria Colmeia de bruxas, e os seus trabalhos de amarração com missas negras tornaram-se lendários.

Por volta dos anos de 1792, a Madame Belloc ofereceu emprego a uma jovem de nome Virginie. A Madame Belloc uma dama da alta sociedade, e acima de tudo uma fervorosa crente cristã. Grande foi o seu espanto quando passados tempos descobriu que a jovem Virginie era uma bruxa e fiel satanista, membro de uma seita satânica que tinha a sua sede sobre a sombra de santo Caprásio de Agen ( 303 dC), um santo do quarto século muito venerado em França na época. Assim se testemunhava com os santos são frequentemente usados pelas bruxas para encobrir e dissimular as suas artes de magia negra, o seu culto ao Diabo, e os seus trabalhos de magia negra, pois que na mesma capela onde se prestava culto e missas ao santo durante o dia, era o mesmo local que durante noite era contaminado com as maiores heresias satânicas, ao ali celebrarem-se missas negras nas quais a jovem bruxa Virginie entregava-se lasciva e profanamente na qualidade de representante da rainha do Sabbat, e amante do Diabo. Quando tinha doze anos, a jovem Virginie foi levada a casa de um padre idoso, que celebrava uma missa de blasfémias. Foi nessa missa que o velho padre corrompeu Virginie, levando-a a aceitar o Diabo com o qual ela celebrou Pacto, e contaminando-a com um demónio familiar que a acompanhou desde então, ajudando-a em todas as suas artes de magia negra. A Madamme Belloc rapidamente descobriu o poder das bruxarias ali celebradas naquelas missas negras,  pois o seu marido foi de tal forma amarrado pela bruxa Virginie, que parecia ter perdido o juízo.

Também em França e no século XVII, existiu outra bruxa de nome Lesage, que praticava as suas bruxarias com dois padres, o padre Davot, e o Abade Mariette. Ambos os padres tinham cedido ás tentações da bruxa, e tinham feito pacto com o Diabo, renunciando aos seus santos sacramentos, entregando-se á concupiscência da lascívia e ao pecado da magia negra, tornando-se assim padres satânicos. Ambos os padres e a bruxa Lesage celebraram inúmeras Missas Negras, algumas na capela de bruxa Catherine Deshayes, e outras em mosteiros e conventos da Igreja. Nesta mesma altura, em 1677, o celebre Abade Guibourg também celebrava Missas Negras, algumas nelas na capela da bruxa Catherine Deshayes. Também ele tinha profanado os seus votos sacramentais da Igreja, feito pacto satânico, e celebrado inúmeras missas negras e sabbats negros com os seus heréticos e profanos festins lascivos.

Também nestes casos, os trabalhos de magia negra tornaram-se lendários e altamente requisitados, tal não eram os seus sucessos, especialmente em amarrações.

Na Londres do século XIX, num subúrbio a sudoeste, no East End, á beira rio os bruxos satanistas erigiram uma capela de culto ao Diabo, em que veneravam a Satanás através de ritos de lascívia, sacrilégio e heresia. missas negras. Numa missiva do abade J.A. Boullan de 10 de Fevereiro 1890, endereçada ao famoso escritor Jorris Karl Huysmans ( 1848 – 1907), diz o clérigo: «Entre os eclesiásticos, o satanismo é mais amplamente praticado e ardentemente perseguido do que na Idade Media. Pode ser encontrado até em Roma, no coração do Vaticano; e sobretudo em Paris, Lyon e Châlons, no que diz respeito á Franca» Porem, apesar de fazer estas revelações ao escritor, a verdade é que o próprio abade Boullan era conhecido por celebrar aquilo a que ele chamava de «Eucaristia da Glória», que era precisamente uma missa negra. Nos anos de 1895, havia em Paris um palácio de nome Palazzo Borghese, propriedade no príncipe Scipione Borghese (1845 – 1920) , nos quais havia um templo de culto ao Diabo, no qual se celebravam célebres missas negras. Há porta estavam escritas as palavras «Templum Pallacidum», e as paredes estavam sobertas do tecto ao chão por pesadas cortinas de veludo negro e vermelho, abrigando o espaço em escuridão, na qual apenas brilhavam as sinistras e ondulantes centelhas de velas negras. No chão estendia-se uma grande tapeçaria, a qual ostentava uma imagem colossal de Lucifer dominando o mundo. A igreja satânica tinha tronos luxuosos vermelhos e dourados para acomodar os bruxos e bruxas, e aquele era conhecido por um local de blasfémia e culto ao Diabo. Ali celebraram-se algumas das mais lendárias missas negras, e que causaram os mais espantosos efeitos, para grande agrado daqueles que requisitavam os préstimos ocultos das bruxas e bruxos que ali exerciam as artes da magia negra. Ninguém visitava aquela capela infernal senão os membros do culto satânico, e porem as solicitações para que ali fossem celebrados trabalhos de magia negra eram incontáveis, e grande era a lista de espera que aguardava por atendimento, pois os pedidos ali atendidos acabavam sempre por encontrar um desfecho diabólico. Fosse uma maneira, ou de outra, as vítimas dos bruxedos ali celebrados nunca escapavam ao bruxedo. Ou cediam áquilo que o bruxedo exigia, ou então sofriam padecimentos atrozes até cederem. Cedendo, acabavam-se os tormentos. Porem, teimando em resistir, então os padecimentos persistiam até á desgraça da vítima embruxada. Fosse como fosse, a vítima nunca mais se livrava do bruxedo, nem da pessoa que a mandou embruxar. Nunca mais.

Já no século XII, o religioso e historiador Gerald de Gales (1146 – 1223) dava nota da existência de sacerdotes-bruxos que profanavam o sacramento do altar da Igreja através da magia negra, celebrando missas sobre bonecos de cera, a fim de lançarem bruxedos de amarração sobre as vítimas, ou cantando um Requiem Solene dez vezes a fim de as amaldiçoar. Muitos foram aqueles que desceram á tumba depois de serem amaldiçoados dessa forma, assim como muitos foram aqueles que ou se foram entregar ás suas amantes, ou resistindo ao bruxedo acabaram em desgraça. Por isso, estas missas negras eram fervorosamente procuradas por inúmeras pessoas. Em 1286, na abadia de Rievaulx, um dos monges que celebrava tais missas negras Godfrey Darel, que havendo-se convertido em bruxo oficiava estes trabalhos de magia negra com enorme sucesso. O arcebispo de York soube destes eventos, e deles prestou testemunho historicamente reconhecido.

Por volta dos anos de 1720, o Reverendo George Burroughs, pastor de Wells, em Maine, era igualmente grão-mestre de uma seita de bruxas. Nessa seita satânica, o pastor do Diabo dava sacramento ás bruxas durante a celebração de missas negras, dando a tomar e beber pão vermelho e bebida vermelha, enquanto entoava um missal de blasfêmias. Já por volta dos anos de 1690, as bruxas de Salem repetiram e observaram estes mesmos ritos, pois que foram, praticas ensinadas e transmitidas aos representantes da sociedade das bruxas de Nova Inglaterra. Após os sacramentos satânicos serem ministrados pelo bruxo que presidia á missa negra, seguia-se a feitura de fortíssimos ritos de magia negra. Através dessas célebres bruxarias oficiadas em missas negras, favoreceram-se adultérios através de fortíssimas amarrações que jamais falhavam, pois ou a vitima cedia e se entregava amorosamente, ou então era perseguida por um inferno de padecimentos até acabar em desgraça. Fosse como fosse, nunca mais a vítima se livrava do bruxedo, nem de quem a mandou embruxar. Nunca mais. Não havia escapatória.

Porque as missas negras revelavam ser tao poderosas e geravam tao fortes consequências, na Inglaterra a rainha Elisabete ( 1533 – 1603), no ano  de 1559 promulgou fortes penalizações para quem as praticasse. O mesmo sucedeu no reinado de George III ( 1738 – 1820), onde o reverendo  Maloney foi severamente punido por ter celebrado missas negras que causaram fortes consequências.

O notório padre e ocultista Montagne Summers (1880- 1948),  ao debruçar-se sobre o assunto da magia negra e das missas negras na sua obra The Black Mass, faz citação a fiáveis relatos literários de 1760-65, que comprovam que estes ritos de magia negra foram mais assinalávelmente celebrados na América, Inglaterra, França, Holanda, Alemanha, Suíça, País Basco e Portugal. As origens das missas negras remontam ao berço do próprio Cristianismo, e aos primeiros séculos da sua existência. As primeiros notas historicamente documentadas sobre as origens das missas negras residem nas Missas de são Sicário. Para saber mais, leia: MISSAS NEGRAS.

No século XVI, durante o reinado de Henry Valois, o rei prestou culto ao Diabo na floresta de Vincennes, onde ofereceu sacrifícios diante de duas imagens de ouro prateado de dois demónios sátiros . Nessa floresta, havia um lendário altar com duas estátuas de Sátiros com um metro e meio. No meio das estátuas, encontrava-se uma cruz invertida. Nesse local, eram oficiadas fortíssimas missas satânicas, ou missas negras.

Na França do século XVII haviam umas célebres missas negras na qual uma famosa bruxa de nome Marie de Sains iniciava uma litania diabólica com «Lucifer, misere nobis». A Eucaristias satânicas eram lidas num grande livro negro com as letras escritas em vermelho com sangue, e algumas páginas eram todas pretas, e onde constavam orações de pura blasfémia. A capa era feita de pele de bode negro, e todos as bruxas o beijavam na missa negra. Mais uma vez, tudo era feito com a missão de agradar ao Diabo com as mais requintadas heresias, assim lançando-se um poderosíssimo chamariz aos demónios que compareciam ao chamamento, e favoreciam fortemente os trabalhos de magia negra celebrados nessas missas negras.

As amarrações são trabalhos de magia negra, e são das mais poderosas magias que se podem usar, e cujos segredos apenas poucos bruxos e bruxas conhecem com profundidade.

Os dois mais poderosos fenómenos da vida são o amor e a morte, e por isso tudo o que são bruxarias relacionadas com o amor e com a morte, são das mais fortes, perigosas e intensas magias que existem. O amor e a morte são as duas forças mais poderosas do universo, e para tocar em tais forças são necessárias forças poderosas que apenas irradiam da mais profunda magia negra, e quem disser o contrário está a mentir ou ignora tudo sobre magia.

Porem:

Há quem venha com o discurso muito bonito das amarrações de pura magia branca, em que anjos são ancoras que unem dois corações, e que pelo amor e pela luz tudo se faz conforme num conto de fadas, e que – para enganar os desconhecedores – cobram bem baratinho esse tipo de serviços branquinhos, e depois – no final – a pessoa ficou sem o seu pouco dinheiro e sem resultado nenhum, porque caiu na ilusão que algo tao poderoso como uma magia de amarração, ( que é uma magia negra!), poderia ser feita através de magia branca e quase de graça. Quem faz isso, fá-lo apenas para vender barato coisas que não funcionam, pois para quem engana os outros então o que é barato é mais fácil de vender, apesar de depois não resultar em nada, pois nada que é bom cai do céu de graça, porque aquilo que é de graça então é porque não tem custo nenhum para ser feito, e aquilo que nada custa para ser feito então é porque não dá efeito.

Assim sendo: obviamente que as amarrações são bruxarias de magia negra, pois são das mais ocultas magias das trevas que se podem usar, pois lidam com as duas maiores forças do universo, e que são o amor e a morte.

As amarrações de magia negra lidam com o amor quando vão constringir uma criatura a ficar amorosamente com outra, e lidam com a morte quando recorrem a espíritos de mortos, á necromancia e a espíritos de trevas para alcançar esses fins com eficácia. Esta é a realidade, e – por isso – conforme já dissemos:

para tocar em tais forças – como o amor e a morte – são necessárias forças poderosas que apenas irradiam da mais profunda magia negra provinda dos abismos do mundo dos espíritos, e quem disser o contrário está a mentir.

As amarrações de magia negra vão sempre forçar a um desfecho na vida de uma pessoa embruxada que não desejava esse desfecho, vão sempre retorcer os fluxos espirituais da vida de uma pessoa e alterando-lhe os rumos de vida, vão sempre fustigar e infestar a pessoa até ela vergar e ceder ao mandante das bruxarias de amarrações. Por isso: tais princípios são incompatíveis com a magia branca, que é  uma magia de efeitos bastante curtos e frágeis neste tipo de assuntos.

Por isso: quem quer verdadeiramente uma amarração de verdade, então deve recorrer das amarrações de magia negra, pois apenas essas amarrações podem infestar a alma de uma criatura, ali entrando e apegando-se-lhe á alma conforme uma sanguessuga se apega num corpo, e ali sugando as energias da alma dessa pessoa – com assombrações e perturbações espirituais sem cessar – ate a enfraquecer ao ponto em que – demore o tempo que demorar – ela vai ceder e entregar-se ao mandante das amarrações.

Por isso mesmo estas amarrações são usadas nos casos mais difíceis e impossíveis, nos quais um casal está irreconciliavelmente desavindo, ou um amante se recusa a entregar-se, ou alguém causou uma separação irredutível entre duas pessoas, ou ocorreu uma desavença irreparável num casal, ou uma pessoa simplesmente encontrou outra fora do relacionamento e fechou o seu coração.

Sobre os bruxos de magia negra, e são Cipriano

 

Sobre bruxos e bruxarias de magia negra, assim diz a obra de são Cipriano, o grande bruxo que teve eterno pacto com Lúcifer:

o teu Deus antigo é o Rei dos Céus e eu – Lúcifer – sou o Rei dos Infernos. Ele dá leis aos seus vassalos e eu dou-as aos meus.

Enguerimanços de são Cipriano ou prodígios do diabo, pag 260

Assim sendo, significa isto:

Satanás é Senhor da terra, e Deus é Senhor dos Céus, ou seja:

o Diabo representa o poder e o domínio sobre todas as coisas que andam nesta terra, ao passo que Deus representa o poder e o domínio sobre todas as coisas do Céu e do mundo celestial.

Pois assim sendo: defendem certos teólogos de Goétia – estudiosos da magia negra – , assim como crentes da teologia Satânica, que na terra impera a vontade de Satanás, e no Céu impera a vontade de Deus, e assim tem sido desde que Deus expulsou Satã dos Céus e concedeu a terra ao arcanjo caído para que esta fosse o seu reino e o seu domínio.

Pois por isso: quando aqui na terra se pretende um resultado concreto e terreno, então invoque-se á magia negra que os resultados são eficazes, e as suas amarrações são infalíveis.

Porem: Quando você pede aos bruxos um trabalho de magia negra, jamais devem existir duvidas na sua mente, mas sim e apenas a plena certeza e total convicção que – demore o que demorar – o trabalho de magia negra funcionará. Por isso:

Jamais venha aos trabalho de magia negra  tresandando a descrença nem impaciência.

São Cipriano – o bruxo  que firmou Pacto infernal e satânico com o Diabo – trabalhou profundamente com pactos e magia negra, pois que assim está escrito na obra de são Cipriano, o bruxo:

– (…) Respondeu Cipriano, não sabes que pertenço a Lúcifer, porque firmei pacto com ele, e por isso não posso entrar no céu, onde so entram (…) aqueles que não seguem o caminho do inferno? Então retira-te da minha vista, quando não, usarei dos meus poderes e das minhas artes diabólicas

Obra de são Cipriano, Capitulo «são Cipriano e são Gregório tiveram um encontro no qual disputaram acerca da fé católica, ficando são Gregório vencedor e são Cipriano derrotado»,Pag 295

Pois assim se sabe:

Entre as muitas experiências e formulas místicas que são Cipriano desenvolveu ao longo da sua vida de estudos ocultos, são Cipriano – o bruxo – a dado momento entrou em contacto directo com Satanás, que era a grande fonte dos seus infernais poderes de bruxaria, e trabalhos de magia negra.Com essa magia negra é que o bruxo Cipriano trabalhou nas mais poderosas formulas de amarrações.

Senão, veja-se que também assim está escrito na obra do bruxo Cipriano :

Cipriano chamou em seu socorro a Lúcifer (…) que lhe garantiu:

-Elvira será tua. Terás porem, que seguir as seguintes instruções

obra de são Cipriano, versando sobre «Nascimento vida e obra de são Cipriano», capitulo «Cipriano e Elvira», Pag 20

Pois assim se sabe: nos seus fortes trabalhos de magia negra, são Cipriano – o bruxo – invocava a Satanás para garantir os grandes feitos da sua obra oculta, especialmente em amarrações de magia negra.

E porem ,também se sabe através deste escrito do bruxo Cipriano, o seguinte ensinamento: de Satanás só se colhe fruto, se se trilhar no caminho das instruções de Satanás .

Tenha porem em consideração:

Os rituais contidos nos trabalhos de magia negra não são apenas projetados para prejudicar. Lembre-se de que Deus criou Lúcifer, e que Lúcifer era o mais belo e o mais amado dos anjos de Deus.

Por isso:

Nos trabalhos de magia negra, Lúcifer pode providenciar remédios salva-vidas para os casos mais desesperados, e nas mais fortes amarrações.

Exemplos históricos de amarrações celebradas com magia negra em missa negra

Anne Boleyn (1507-1536) foi uma rainha inglesa que casou com o rei Henrique VIII em 1553. O casamento deu-se em privado e secretamente, enquanto que ainda estavam em curso as negociações para a dissolução do anterior casamento do rei com a Catarina de Aragão, através da qual se havia celebrado uma aliança com o reino de Espanha. Anne Boleyn foi secretamente uma bruxa, e celebrou um rito de amarração ao rei Henrique VIII, conseguindo assim aquilo que parecia impossível, que foi suceder como rainha de Inglaterra a um casamento que era quase impossível de dissolver. A igreja de Roma e o Papa opunham-se fortemente á dissolução do matrimonio real, pelo que há rumores que a bruxa se terá virado para os poderes opostos aos da Igreja de Roma, e terá celebrado uma Missa Negra para desposar do rei não pela lei de Deus, mas sim pela lei da magia negra e do Diabo, coisa que conseguiu com sucesso.

Madelaine Bavent ( 1607-1647), era uma freira do convento franciscano de Louviers. O caso da freira Madelaine tornou-se famoso em 1647, altura em que Luis XIV reinava em França, havendo este caso chegado ao conhecimento do rei. A freira Madelaine foi admitida no convento son supervisão do padre Pierre David, sendo que apos a sua morte passou a estar sob supervisão do padre Mathurin Picard. O padre Picard era um padre franciscano que havia sucumbido ao chamamento dos demónios, havendo celebrado pacto com o Diabo, e sendo um praticante de fortes trabalhos de magia negra. O seu nome era famoso nos círculos do oculto, e os seus serviços em trabalhos de magia negra eram requisitados pela elite da nobreza e aristocracia, pois os seus resultados tinham grande reputação. O padre Picard era um dissimuladamente um padre satânico, e acabou por insinuar-se e aliciar a freira Madelaine a entrar pelos mesmos caminhos da magia negra. A freira Madelaine foi iniciada nos ímpios sacramentos satânicos, devassando e profanando os seus sagrados votos de consagração á Igreja através de Pacto com o Diabo. A freira Madelaine tornou-se uma freira satânica, passando assim a ser um acólito da celebração missas negras conduzidas pelo padre Picard, nas quais o demonio Astaroth era venerado diante de um altar de Deus dentro de uma capela do convento, assim cometendo-se o abominável pecado da Idolatria e culto a deuses pagãos ou demónios. Nessas missas negras a freira Madelaine era colocada desnudada no altar da igreja, sendo celebrado sobre o seu ventre a infernal liturgia de missa negra. O rito era concluído com a devassa consumação de actos lascivos. Dessa forma, faziam-se fortes magias negras e trabalhos de magia negra, que eram preciosidades requisitadas pelas mais elevadas figuras da alta-sociedade, tais eram os resultados que produziam. Para alem das missas, negras, a freira Madelaine era levada a frequentar duas vezes por semana a celebração de Sabbats negros, junto com o padre Picard e o capelão do convento, o padre Thomas Boullé. Durante esses Sabbats Satânicos, a freira chegou a ser possuída carnalmente pelo Diabo incorporado em homem. Conta-se que todas as noites ao regressar á sua cela, a freira Madelaine tinha sempre um gato preto á sua porta. O demónio incorporava no gato preto, e através dele possuía a freira noite após noite. Tantos foram os ritos de magia negra celebrados nos muros daquele convento, que a fama e a reputação dos resultados daqueles trabalhos de magia negra celebrados por missas negras espalhou-se pela Europa. Na mesma altura, também o padre satânico Gilles de Sillé, da diocese de St. Malo, serviu de capelão do Diabo em diversas missas negras, assim como também celebrou dessas mesmas missas satanistas na capela de São Vicente, diante de um altar de Deus, onde a prática de tal abominável heresia é do maior deleite para Satanás, e dava por isso origem aos mais fortes trabalhos de magia negra.

Em 1324, o Bispo de Ossory testemunhou como a bruxa Alice Kyteker de Kilkenny, na Irlanda, usava de hóstias consagradas num altar de magia negra, onde se celebravam profanas missas negras ou missas satanistas. A hóstia satânica estava profanada, pois tinha estampada o nome do Diabo ao invés da figura de Cristo, e junto ás hóstias estava uma bisnaga de unguento mágico com o qual a bruxa untava uma vara magica. Aquelas hóstias haviam sido consagradas numa missa negra, e foram tomadas pela bruxa Alice, assim como pelo seu amante Goety no decorrer de um rito de sacrilégio e lascívia, celebrado com a intenção de lançar uma forte bruxaria para a amarração daquele que seria o quarto marido da bruxa. Antes desse rito, a bruxa Alice tinha sacrificado nove galos pretos numa encruzilhada a fim de invocar o seu espírito demoníaco familiar, cujo o nome era Robin, e que tendo respondido ao chamamento, foi incorporar no seu amante Goety através de uma possessão demoníaca. Robin, era na verdade o demónio Puck, cujo o nome tem raízes no inglês arcaico, e é uma reminiscência de Pucca, um demónio travesso, indecente, astuto e cheio de artimanhas. Na Idade Media passou-se-lhe a chamar de Robin, ou Robin Goodfellow, que se dizia ser um demónio na forma de um duende, que também podia incorporar em homens. Juntos, a bruxa e o demónio incorporado celebraram uma profana missa negra, na qual se celebrou uma forte amarração. Com estes ritos celebrados em missa negra, a bruxa Alice Kyteker lançou uma forte amarração sobre aquele que viria a tornar-se o seu quarto marido. Com estas célebres amarrações, a bruxa conseguiu para si quatro maridos ricos, e todos eles lhe deixaram consideráveis fortunas em consequência das artes de magia negra. Por isso mesmo, a fama da bruxa Alice era tal, que lhe chegavam incontáveis solicitações vindas dos quatro cantos do Reino Unido, requerendo os seus préstimos ocultos. As suas bruxarias eram famosas, e as suas amarrações tornaram-se lendárias.

Por volta dos anos de 1629, o jovem e único herdeiro de Philipp Adolf von Ehrenberg ( 1538 – 1631), o príncipe-bispo de Wurzburgo foi contaminado por uma fortíssima bruxaria de amarração celebrada através de missas negras. O jovem chamava-se Ernest von Ehrenberg. Uma bruxa mais velha que ele, que era porem uma lindíssima mulher, desejou ter para si o herdeiro do reino, lançando-lhe um forte trabalho de magia negra de amarração celebrado através de missas negras. Passado algum tempo, o jovem Infante Ernest começou a desinteressar-se dos estudos, começou a frequentar tavernas, começou a beber, e andando anormalmente desnorteado caiu nos braços da bruxa. O impossível aconteceu, e a amarração da bruxa de Wurzburgo tornou-se famosa no reino.

Assim se pode ler na obra de são Cipriano, bruxo que celebrou eterno pacto com o Diabo:

a missa negra (…) a marquesa de Montespan teve de pagar a Voisin as cem mil libas que prometera. (…)

È uma grosa quantia, mas Voisin não faz por menos, e afinal, que são cem mil libras para quem quer satisfazer um desejo? (…)

[ missa negra] promete resolver os problemas todos, por mais difíceis que sejam (…)

Obra de são Cipriano, capitulo Missa Negra. Pag 401-405

Mais assim se pode ler:

a marquesa deve pagar a Voisin as cem mil libras (…) a marquesa está disposta a mudar as inclinações do soberano em relação a Fontagnes e para isso esta disposta a fazer o impossível. Alem disso, acredita a marquesa que um dia será rainha e portanto não hesita em destruir a mulher de luís LIV (…) tudo isto lhe é soprado ao ouvido pelo ouvido (…):« não é verdade que o amor (…) obedece a essas artes e a esses filtros?»

Obra de são Cipriano, Capitulo , versando sobre «missa negra», Pag 402

Pois então:

marquesa de Montespan tornou-se amante do rei Luís XIV no ano de 1667. Ambicionando ser a sua amante preferida, ambicionando ser a única mulher na cama do rei, e querendo não apenas afastar a rainha do seu caminho como dar ao rei filhos legítimos para coroa francesa, ela celebrou com o padre Guibourg uma missa negra de tremendo poder, sendo essa missa foi paga previamente pela fenomenal quantia de cem mil libras, ( estamos a falar do século XVII), pois que a verdadeira magia negra não é coisa acessível a qualquer um.

Resultado: Pois em 1678 a missa negra foi feita, e um ano depois em 1679, então a marquesa tornou-se «miraculosamente» na mulher preferida do rei, e a única mulher a deitar-se no leito real, a única mulher pelo qual o rei tinha verdadeiros olhos, e a única mulher a quem o rei permitia engravidar de filhos legítimos á coroa, algo reservado apenas á rainha. Anos depois, a marquesa conseguiu mesmo afastar a própria rainha do leito real, o que se julgava impossível. Dai em diante e nos anos seguintes, eis que a marquesa deu 8 filhos ao rei, todos eles príncipes legitimados conforme fora prometido na missa negra. E assim sendo: desde a data em que a missa negra foi celebrada,(1678), e a colheita de todos os seus majestosos frutos,(de 1679 em diante), eis que decorreram anos e anos durante os quais os efeitos da bruxaria foram paulatinamente florescendo, e porem: o fruto garantido veio e materializou-se, pois que a nobre marquesa soube sempre guiar-se pela inabalável fé e férrea crença no trabalho de magia negra , assim como pela orientação do Abade Guiborg, o padre satânico que a serviu. Pois então: como esta história prova, eis que existem milhares e milhares de sucessos inexplicáveis que ocorrerem em consequência das artes mágicas pretas das missas negras, e porem todas elas dão fruto, e mais fruto, e mais fruto, sempre no seu devido tempo, e porem o fruto é certo e garantido. E por isso: os anos não importam, pois que anos após a missa negra da marquesa Montespan, tudo acabou acontecendo conforme as infernais e demoníacas promessas que o Abade fez á marquesa.

As missas negras celebradas por padres e abades ao longo de história

O padre Louis Van Haecke (1828 – 1912)  foi um padre belga que celebrou diversas e celebres missas negras. Louis Van Haecke havia sido seduzido por uma linda e jovem bruxa ainda na sua juventude, enquanto estudava no seminário. A bruxa aparecia-lhe misteriosamente, seduzia-o, e insinuava-lhe á pratica tanto de actos lascivos, como de ritos de magia negra. A jovem bruxa aparecia e desaparecia tao misteriosamente, que se diz que o padre foi na verdade abordado por um demonio Succubus  incorporado numa jovem rapariga. Após ter recebido a sua ordenação sacerdotal, o padre não resistiu á sua fraqueza pelas tentações da carne, e acabou por profanar os seus votos, entregando-se á lascívia com ao demonio Succubus, através dela celebrando pacto com o demonio, e praticando magia negra. Louis Van Haecke tornou-se assim um padre satânico. Tendo mais tarde sido colocado numa paroquia de Bruges, o padre acabou por seduzir uma legião de fiéis com os seus trabalhos de magia negra, através dos quais concedia todo o tipo de resultados e favorecimentos em assuntos amorosos e de luxuria, através de amarrações . A sua fama rapidamente se espalhou pela França, e eram inúmeras as pessoas que procuram pelos trabalhos de magia negra do padre satânico.  Os seus trabalhos eram realizados através de missas negras, sendo essas celebradas nocturnamente na própria Igreja onde o padre exercia o seu ofício. Durante o dia o padre celebrava as suas missas normais dirigidas as Deus, sendo que há noite oficiava as suas missas negras dirigidas a Satanás. O padre liderava as missas negras usando uma máscara negra com grandes cornos de bode, sendo que a missa em si era uma variação da missa católica normal, á qual eram adicionados elementos de devassa, lascívia e adoração ao Diabo. No altar central da Igreja, era colocada uma imagem de um demonio ao qual era prestado culto, assim consumando-se o sacrilégio da idolatria no centro da casa de Deus, o que constitui um acto de magia negra. Seguiam-se diante do ídolo demoníaco todos os ritos típicos da missa católica, que culminavam com a profanação da Hóstia consagrada, á qual se seguia um festim de lascívia no qual todo o tipo de apetites e prazeres era saciado. No decorrer destas missas, eram realizados trabalhos de magia negra. Os trabalhos de magia negra do padre satânico tornaram-se famosos, e abundantemente requisitados, havendo os seus sucessos sido registados e documentados na obra do escritor Joris-Karl Huysmans, assim como pelos testemunhos de uma bruxa de nome Berthe Couriérre. A fama dos trabalhos de magia negra do padre satânico Van Haecke atingiram tais proporções, que chegaram aos ouvidos do Bispo de Bruges, que mandou instaurar um inquérito. Porem, nada sucedeu. As missas negras e amarrações do padre satânico prosseguiram, tornando-se lendárias.

Muita gente escandaliza-se quando se fala de magia negra, quando na verdade pouco ou nada sabem sobre o assunto.

Para clarificar: a magia negra ocorre de toda a vez que se entra em contacto com espíritos de trevas, seja para praticar uma amarração, ou seja para fazer um exorcismo que salva uma vida.

Pergunta-se: mas um exorcismo é um acto de magia negra?

Responde-se: sim, obviamente.

A partir do momento em que um sacerdote – seja a Igreja Católica de Roma, ou seja qualquer outra Igreja Cristã – entra em contato com espíritos impuros – como acontece no exorcismo – então ele já está a praticar magia negra, nem que seja por um bom motivo, ou seja: fazer um demónio abandonar um corpo possuído e regressar ao mundo dos mortos.

O mesmo sucede com as amarrações, ou seja: o sacerdote entra em contacto com espíritos de trevas, para que eles venham do mundo dos mortos ao mundo dos vivos, e ajudem numa demanda amorosa. Ou seja: a finalidade é boa, mas o meio é poderoso, e deve ser apenas ser lidado por sacerdotes especialistas.

Por isso: conforme apenas um sacerdote ordenado por uma igreja – seja a Igreja Católica de Roma, ou seja qualquer outra Igreja Cristã – tem o poder de oficiar um exorcismo, pois também apenas um sacerdote ordenado por uma igreja – seja a Igreja Católica de Roma, ou seja qualquer outra Igreja Cristã – tem o verdadeiro poder de celebrar uma verdadeira missa negra que é fonte de magia negra, pois apenas um sacerdote ordenado tem a capacidade de inverter, corromper, profanar e subverter os votos de ordenação de que foi investido, e é fazendo precisamente isso que o sacerdote invoca aos espíritos de trevas e demónios através da missa-negra. Pois por isso:

È bem-sabido e historicamente reconhecido casos de padres, monges e abades da Igreja que de dia celebravam as missas cristas normais, e porem á noite – a troco de elevadas somas – empenhavam a sua alma do Diabo e celebravam pactos infernais em missa negra em honra do demónio, fosse para fins amorosos, fosse para eliminar inimigos, fosse mesmo em assuntos de estado e para vencer guerras. Esses padres, monges e freiras existem desde os tempos medievais, e são conhecidos por freiras satânicas e padres satânicos, havendo os seus preciosos e raros serviços nas artes de magia negra sido procurados e requisitados ao longo dos séculos, e a pagos a peso de ouro.

E a verdade, é que os resultados destas por freiras satânicas e padres satânicos eram amplamente apreciados e reconhecidos, pois não há rei nem nobreza que vá continuar a pagar um abade ou a um padre ao longo dos anos, se ao longo dos anos não testemunhar resultados satisfatórios, e os resultados da magia negra – para quem sabe guiar-se pelas instruções da magia negra – são invulgarmente eficazes e satisfatórios, especialmente nas amarrações.

 

Como garantir sucesso nas amarrações de magia negra?

 

Neste tipo de trabalhos, ( como em todos os trabalhos que lidam com invocações de espíritos), não se deve jamais andar a toda a hora a olhar o relógio, e todos os dias olhando o calendário, e a todo o tempo caído em impaciências, duvidas e inquietações, pois olhai que assim está escrito na obra de são Cipriano, o bruxo  que firmou Pacto infernal e satânico com o Diabo :

«[Implorou Siderol]: perdão Lúcifer, perdão, Lúcifer (…)

[Respondeu Lúcifer]: não te disse já, (…), que na minha lei também é preciso ter paciência? »

Obra de são Cipriano, «Enguerimanços de são Cipriano ou prodígios do Diabo», capitulo 8º, pagina 260

Assim se fica sabendo:

Na Lei do Diabo também o Diabo exige paciência e reverencia aos seus desígnios. Por isso: os prodígios de magia negra de são Cipriano não ocorrem na «impaciência», mas sim eles florescem na «fé» e eles frutificam na «paciência», pois que ensina são Cipriano que o tempo dos espíritos não é o tempo das pressas picuinhas dos homens, e por isso: seja na magia branca, ou seja na magia negra, ( e seja em qualquer trabalho de invocação de espíritos), a lei dos espíritos manda ter paciência, pois acaso não está escrito: «na minha lei também é preciso paciência»?

Pois então:

na magia negra, eis que a obra de são Cipriano garante que com «fé» e «paciência» todos os frutos do espírito são infalíveis!, e porem agindo ao contrario então poder-se-á colher tudo ao contrario daquilo que se deseja!.

Por isso:

– A inquietação, a ansiedade e as dúvidas são veneno que mata o fruto da obra do espirito, pois que a duvida é o veneno da certeza, da crença e da fé, e pois que olhai:

Quem tendo visto – depois de 7 dias de uma magia negra estar feita – os espíritos infernais a manifestarem-se diante dos seus olhos, então essa pessoa já não pode mais ter duvida alguma!, mas sim deve trilhar no caminho da certeza!, e com crença deixar os espíritos trabalhar e edificar conforme eles querem, pelo tempo que eles determinarem, e pelos caminhos que eles escolherem!

Pois por isso:

– Neste tipo de poderosos trabalhos, em 7 dias os espíritos infernais manifestam-se, e dai em diante – depois deles se manifestarem – deve-se adoptar essa postura espiritual e – conforme Satanás anuncia na obra de são Cipriano – o bruxo – deixar aos espíritos demoníacos trabalhar, pois eles trabalham sempre por caminhos misteriosos, e eles operam sempre por trilhos insondáveis, e eles movem-se sempre por caminhos incompreensíveis, e por isso o seu fruto acaba sempre florescendo quando menos se espera, pelos caminhos que menos se espera, e sempre no tempo pelos espíritos marcado, e não no tempo das picuinhas impaciências humanas.

Assim sendo:

– Respeitai esta regra para do espírito colher bom fruto, ao invés de andar afrontando os espíritos do demónio, e depois colher tudo ao contrario daquilo que aos espíritos se foi pedir.

Para que servem as amarrações de magia negra?

Por vezes a pessoa amada é demasiado relutante, tem um coração demasiado hesitante, ou então é uma pessoa volúvel e encontra-se influenciada por outras pessoas, e por isso essa pessoa teima e persiste em não se entregar amorosamente do jeito desejado. Por vezes existem também intromissões de outras pessoas que bloqueiam um relacionamento, ou há desavenças que marcaram um amor.

Pois então:

A vida do corpo é a sua saúde, e a saúde da alma é o amor, e por isso conforme há remédios do corpo para curar os males do corpo, pois também há remédios do espírito para curar os males do amor e as moléstias do espírito.

Por isso: Conforme os médicos procuram remédios do corpo para curar as moléstias do corpo, pois também os bruxos de magia negra procuraram os remédios do espírito apara ajudar nas moléstias do espírito, pois que ter saúde no corpo sem ter felicidade na alma e no coração, isso não é viver, mas é apenas um tormento!

E por isso, eis que os antigos ensinamentos de magia negra deixaram o seu grande legado de saberes ocultos, onde ali se podem encontrar as magicas das amarrações de magia negra, que são as amarrações adequadas ás mais desesperadas situações amorosas.

Como funcionam as amarrações de magia negra

Filipe I, Duque de Orleães ( 1640 – 1701), que era conhecido na corte do rei pelo «Monsieur», era um notório adepto da magia negra e da bruxaria, da qual desfrutava grandes resultados. O Duque encomendou diversas Eucaristias satânicas, e testemunhou pessoalmente o seu poder, pois os seus pedidos amorosos acabavam sempre atendidos, ou caso a vítima se recusasse a ceder aos seus desejos, acabaria sob um suplicio de tormentos até que cedesse. Cedendo, paravam os tormentos. E porem teimando em resistir, então o bruxedo persista a castigar a fustigar a vítima até ao ponto da sua desgraça. Porem, fosse como fosse, nunca uma vítima escapava ao bruxedo, nem á sombra do Duque que as mandava embruxar. È justamente assim que funcionam as amarrações de magia negra lançadas através de missas negras:

As amarrações de magia negra lançam sobre a criatura amarrada um forte bruxedo de magia negra. Através desse bruxedo, a pessoa será infestada de forças de trevas e espíritos demoníacos que irão em espírito assombrar a alma dessa pessoa, sempre ali persistindo e insistindo, castigando e fustigando nessa alma, até ao ponto em que a pessoa se canse e ceda, e se vá entregar ao mandante da bruxaria.

A amarração lança por isso uma maldição na alma da criatura embruxada, e dessa maldição a pessoa nunca mais se livra senão cedendo ao mandante da amarração, e voltando arrependida, mansa, humilde, e implorando pelo perdão de quem antes havia desprezado.

Porem:

teimando em desprezar o mandante da amarração, então a maldição ali persistirá castigando e fustigando essa alma num purgatório de tormentos, sem sem cessar e até há hora da sua morte. Não há escapatória para uma magia negra destas. Não há escapatória para uma amarração destas.

O resultado é sempre certo e não falhará, e o resultado é:

ou a pessoa cede, ou ela permanece amaldiçoada ate ceder, e se teimar em não ceder então a maldição insistirá e persistirá até á hora da sua morte.

Uma coisa é certa:

a pessoa embruxada nunca mais se livra do bruxedo, nem de quem a mandou embruxar.

Para saber mais, leia também:

Magia negra e demonologia

Magia negra no mundo, ao longo dos séculos

Magia negra, o que é a magia negra

Magia negra na História

Magia Negra e os Grimórios satânicos

Magia Negra e Satanás

Magia negra e Lilith

Magia negra e Baphomet

Magia negra e o demonio Astaroth

Magia negra e o demonio Mammon

Magia negra e o demonio Asmodeus

Magia negra e o demonio Beelzebub

Magia negra e Salomão

Magia negra e o demonio Mephistopholes

Magia negra e o mau olhado

Magia negra e o sangue das bruxas

Magia negra e a marca das bruxas

Magia negra e as varas magicas

Magia negra e os demonios familiares 

Magia negra e o caldeirão das bruxas

o que são bruxas e bruxos,

o que são freiras satânicas e padres satânicos ,

como funcionam as bruxarias,

Magia Negra e as possessões demoníacas

Magia negra e as 3 Leis da magia negra

Demonios, demonologia e o Diabo

As Missas Negras

Os Sabbats das bruxas

os Pactos demoníacos,

 

Amarrações?

Amarrações amorosas?

Amarrações de magia negra?

Escreva-nos!

Trabalhos de magia negra, magia negra, amarrações. O altar de baphomet é uma Associação de natureza religiosa – informal e sem personalidade jurídica – fundada em 2011, e conforme os termos da Lei 16/2001 de 22 de Junho.
O altar de baphomet é um altar privado de culto religioso privado e fechado. O altar de baphomet exerce os seus préstimos espirituais online, já há quase 1 década aqui abrindo caminhos nas causas mais impossíveis.
 No altar de baphomet praticam-se as artes da magia negra, invocações de espíritos de trevas, conjuraçoes de demónios, assombrações e aparições. Celebram-se missas negras para todos os fins: amarrações de casal, separações de casal, bruxaria de vingança, bruxarias de justiça, trabalhos de magia negra para afastamento de pessoas indesejáveis, trabalhos de magia negra para todos os fins.
Desde 2011 a providenciar sucessos e vitorias, nos casos mais difíceis e desesperados.

 

 

© 2019, admin. All rights reserved.

This entry was posted in amarrações and tagged , , , , , , , , . Bookmark the permalink.