Amarrações de magia negra

Amarrações de magia negra

O bispo Richard de Ledrede ( f.1360) , um frade franciscano treinado em França nas artes de reconhecer a bruxaria, encontrou e deixou testemunho escrito pelo seu punho, de muitas bruxas e fenómenos de magia negra que presenciou pessoalmente. Uma das bruxas que o Bispo mencionou, foi uma celebre bruxa que no ano de 1317 era famosa pelos seus trabalhos de magia negra. A bruxa de nome Alice era uma linda mulher conhecida por lançar os mais fortes bruxedos de amarrações de magia negra com os quais conseguia dominar qualquer homem que desejasse, fosse para si mesma, fosse para a vasta clientela que a procurava.  Quando a bruxa se entregou a Satanás em lascívia carnal e desse modo celebrou pacto com o Diabo, no fervor da luxuria ela negou a Deus e á Igreja, jurando fidelidade ao Demonio. Dai em diante, nos seus ritos ela sacrificava galos pretos ao Diabo, e quando o fazia aparecia-lhe um espírito demoníaco familiar de nome Robert Artisson. O demonio aparecia-lhe em ritos nocturnos onde se parodiava a missa católica, e assim – através desses profanos sacrilégios onde se praticavam actos de herética depravação  –  muito se agradava ao Diabo. Do Diabo a bruxa recebia em troca pós mágicos e saberes ocultos, com os quais celebrava os seus trabalhos de magia negra. Na feitura dos seus trabalhos de magia negra, a bruxa Alice entregava-se carnalmente ao seu espírito demoníaco familiar, que em troca aceitava os seus pedidos, e ia embruxar quem ela desejasse ver embruxado. No caso das amarrações de magia negra, a pessoa embruxada acabava sempre por se ir entregar a quem a tivesse mandado amarrar, e entregava-se arrebatadamente apaixonada e perdidamente enamorada.

Richard Bouvet ( n. 1641), foi um celebre demonologista Inglês, autor do grimório Claustro do Demónio ou Pandaemonium de 1684. Heinrich Molitor, ( 1442 – 1507),  foi um doutor de direito e notório demonologista,  autor de De Lamiis et Phitonicis Mulieribus de 1489. Quando o arquiduque da Áustria Sigismund (1427 – 1496), teve dúvidas sobre a existência de bruxas e o fenómeno da bruxaria, procurou a ajuda e conhecimentos de Molitor, que lhe comprovou por vias de factos e evidencias concretas, que a magia negra existia, e que os seus efeitos eram tão reais como devastadores. Confrontado com os testemunhos reais e atestando casos verídicos com os seus próprios olhos, o arquiduque confirmou que a magia negra era mesmo uma realidade. Já Ludwig Lavater, ( 1527 – 1586),  foi um teólogo e demonologista autor do notório De Spectris,( 1569), onde se debruçou detalhadamente sobre o estudo de bruxas e demonios. O notório teólogo germânico Joahannes Nider ( 1380 – 1438), foi o autor do celebre Formicarius, escrito em 1435, impresso em 1475, e que trata sobre pactos com o Diabo e os Sabbat das bruxas, assim como o Libro de los Maleficios y los Demonios. Em Espanha, Pedro Ciruelo ( n. 1470), foi o autor do influente Opus de Magica Superstitione de 1521, que foi o primeiro livro sobre magia negra traduzido para Espanhol em 1539. A obra revelava com clareza os factos sobre a existência de demonios, e a forma como estes se manifestam neste mundo quando invocados através de bruxaria e magia negra. Estes e outros notórios doutores foram autores de reputados estudos sobre a realidade dos demónios, dos espíritos de trevas, da magia negra e das bruxas. Tais estudos perduraram no tempo, e actualmente são prova viva que comprova que a bruxaria é uma realidade, e que os seus efeitos são muito concretos. Através da magia negra, desde sempre foi possível executar bruxedos que tocam e mudam a vida das pessoas, e é disso que tais tratados e obras dão prova histórica.

O notório padre e ocultista Montagne Summers (1880- 1948), faz nota nos seus escritos de como no século XVI, Antonio de Palavisini, pároco de Caspan em Valtellina, Itália, testemunhou pessoalmente a celebração de missas negras que eram oficiadas nas clareiras da floresta. Valtellina é uma região de Itália que faz fronteira com a Suíça, e em ambas as terras proliferavam bruxas e clãs de bruxas. São famosos os conventículos e colmeias de bruxas na Suiça, assim como as bruxas de Itália são lendárias. Os relatos do pároco contam como nessas reuniões nocturnas celebradas na floresta, havia bruxas desnudadas que adoravam a Satanás, e depois entregavam-se indiscriminadamente a bruxos nos quais demonios incorporavam para cometerem as mais devassas profanidades. Durante os actos de luxuria nos quais as bruxas se entregavam aos demonios, eram entoadas as mais blasfemas heresias, e invocava-se a Satanás. Realizavam-se assim ritos abomináveis de magia negra, e todo aquele festim de pecados era motivo de regozijo e agrado para o Diabo, que retribuía concedendo ás bruxas todos os pedidos que ali eram feitos. E por isso, os trabalhos de magia negra celebrados naqueles Sabbat geravam os mais fortes resultados. Alguns desses trabalhos de magia negra eram as amarrações de magia negra, que contaminavam as pessoas embruxadas de tal forma, que a luxuria praticada naqueles devassos ritos de magia negra contagiava-lhes as almas, levando-os a irem entyregar-se arrebatada e apaixonadamente a quem os tivesse mandado embruxar. E essas pessoas embruxadas acabavam irresistivelmente rendidas a quem houvesse encomendado o bruxedo de amarração de magia negra àquelas celebres bruxas de Valtellina. Ainda hoje em dia, há quem saiba os segredos dessas fortes amarrações de magia negra, e as pratique conforme essas lendárias bruxas. Tratam-se das mais irresistíveis amarrações.

Procura verdadeiras amarrações de magia negra ?

Venha falar com quem sabe.

Escreva-nos!

© 2020, admin. Todos os direitos reservados. Copyright de trabalhosdemagianegra.com

This entry was posted in amarrações and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.