Amarrações de Diana e as suas fadas

Amarrações de Diana e suas fadas

O famoso grimório Malleus Maleficarum ( 1486), dos demonologistas Jacob Sprenger ( 1438 – 1495), e Heinrich Kramer,  ( 1430 – 1505), dá nota de como as bruxas prestam veneração a Deusas pagãs, tais como a Deusa Diana ou Herodias. Já o frade Dominicano Italiana S. Antoninus ( 1389 – 1459), mencionava também as bruxas pervertidas por Satanás e seduzidas por demónios, que iam em peregrinação nocturna até locais desertos e ermos, onde ali se entregavam desnudadas a ritos celebrados em honra da Deusa Diana ou Herodias.

Porem, muito antes da Idade Media, já Diana era uma Deusa pagã arreigadamente venerada pelas bruxas da Antiguidade. Diana era a Deusa que liderava as bruxas em cavalgadas nocturnas, e que presidia ao Sabbat. Os seguidores de Diana Herodia, eram conhecidos como os Herodias, Hodla-Perchta, Noctiluca, Bensozia e Dame Habonde. Muitas das vezes, quando invocada nos Sabbat, a Deusa agradava-lhe incorporar num gato, e manifestar-se dessa forma. Em Portugal, o forte culto á Deusa pode ser constatado no Templo de Diana, cujos os magníficos vestígios ainda permanecem orgulhosamente erguidos em Évora.

Muitas das vezes, o culto de Diana cruzava-se com o culto de Herodia ( f. Século I).  Herodia era cunhada do Rei Herodes Antipas da Judeia (  f. 39.d.C), e a filha Herodias era Salomé, cujo o voluptuoso corpo e a dança sensual inebriaram o rei a tal ponto, que para satisfazer um capricho de Salomé, mandou decapitar são João Baptista. Herodias e a sua filha eram bruxas, e amantes do rei, numa devassa relação típica das bruxas que se entregam aos profanos caminhos de Satanás. Tal era o seu poder de fascínio sobre qualquer homem que mãe e filha bruxas desejassem, que obtinham sempre tudo aquilo que queriam, e exemplo disso foi a morte do profeta.  E era precisamente invocando os espíritos de Herodias e Diana, que as bruxas da Idade media celebravam fortíssimas amarrações amorosas. Com essas amarrações, tal conforme o Rei Herodes cedeu irresistivelmente deslumbrado á sedução da mãe Herodias e sua filha Salomé,  também todo o homem igualmente caía hipnóticamente seduzido e arrebatadamente enamorado por quem o tivesse mandado embruxar.

O notório padre e ocultista Montagne Summers (1880- 1948), faz nota nos seus escritos de como Satanás seduzia as suas bruxas a entregarem-se lascivamente a demónios, e como na calada da noite elas se esgueiravam para locais secretos onde realizavam o culto á Deusa pagã Diana e ao Diabo. Nessas reuniões satânicas ou Sabbat nas quais se honrava a Deusa Diana, as bruxas copulavam com demonios que em recompensa as instruíam nos segredos da magia negra, e auxiliavam-nas na feitura dos mais fortes trabalhos de magia negra.

No capitulo V do Livro III do célebre grimório Demonology (1597) do Rei James I de Inglaterra ( 1566 –1625), dá-se nota do culto a este espírito de Diana, que as bruxas invocavam com grande devoção, e que lhes permitia profetizar através do Diabo, conforme os profetas de Deus profetizaram através dos espíritos do Senhor. O grimório menciona também os devassos ritos praticados em honra de Diana, onde bruxas se entregavam desnudadas a todo o tipo de luxurias com bruxos e demonios. James I explica também como esses espíritos a quem na Antiguidade se chamava de Diana e a sua corte, eram naqueles dias chamados de fadas nas terras Anglo-Saxónicas, e que na verdade são espíritos de bruxasmortas, e de crianças falecidas sem baptismo, e que habitam neste mundo sob domínio do Diabo. Essas almas penadas ou esses espíritos demoníacos tendem a habitar em locais assombrados nas florestas, colinas, grutas, poços, ruínas abandonadas, e eram invocados pelas bruxas da Idade Media, pois podiam conceder-lhes conhecimentos ocultos preciosos. Uma bruxa de Yorskhire que viveu no século XVII, mencionada por pelo autor John Webster ( 1580 – 1634), era uma bruxa de grande reputação que contava como conheceu um outro homem que se tornou bruxo de magia quando voltando para casa com grande tristeza por não ter meios para alimentar a sua família, certos espíritos de fadas, ( ou almas penadas de bruxas mortas), se apiedaram dele e deram-lhe um branco com o qual ele poderia ganhar a vida fazendo bruxaria. E dai em diante, usando desse branco, o bruxo realizou todo o tipo de trabalhos de magia negra que causavam sempre efeitos espantosos. Estas bruxarias tornaram-se famosas, e acabaram por ser ficar historicamente registadas devido ás notas pessoas de Webster.

O famoso grimório Malleus Maleficarum ( 1486), dos demonologistas Jacob Sprenger ( 1438 – 1495), e Heinrich Kramer,  ( 1430 – 1505), afirma que «Satanás se transforma em varias formas, iludindo em sonhos, confundindo as mentes e afectos» E sabendo disso, as bruxas faziam fortes bruxedos que lhes eram ensinados pelas suas fadas, ( que eram almas condenadas de bruxas mortas),  através dos quais infestam a pessoa embruxada de demónios, que trabalham nessa pessoa nos seus sonhos e na sua alma, alterando-lhe os pensamentos e mudando-lhe os afectos, mesmo apesar da pessoa não ter consciência daquilo eu lhe está a acontecer. E por isso, um dia ela acorda, e toma atitudes ou decisões que ninguém compreende, que surpreendem toda a gente, inclusive a própria pessoa. E porem, ela acaba por fazer ou decidir aquilo que o bruxedo determinou.

Procura verdadeiras amarrações  ?

Venha falar com quem sabe.

Escreva-nos!

© 2020, admin. All rights reserved.

This entry was posted in amarrações and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.