Amarrações de são Cipriano

Amarrações de são Cipriano

Na França do século XV, na localidade de Carcassonne, o monge Pierre Recordi era famoso por lançar fortes bruxedos de amarração baseados nos saberes de Cipriano, o bruxo (f. 258 d.C). Nos anos de 1410, outro padre de nome Geraud Cassendi era um célebre bruxo conhecido por conseguir fazer as mulheres entregarem-se ardentes de paixão a qualquer homem que encomendasse ao padre satânico a sua amarração de sedução. Os seus trabalhos de magia negra eram feitos num altar da Virgem, diante do qual eram praticadas heréticas abominações lascivas, para grande regozijo dos demónios, que assim respondiam ao chamamento dos profanos ritos de magia negra, e revelavam as mais poderosas fórmulas de amarração. Os ritos praticados pelo padre, eram conformes com o prescrito por um antiquíssimo manuscrito de são Cipriano que o sacerdote possuía, e as suas amarrações nunca falhavam. A fama dos seus trabalhos de magia negra e os seus espantosos resultados era tal, que o assunto chegou ao conhecimento das autoridades eclesiásticas, motivo pelo qual caso acabou por ficar historicamente documentado.

Em 1517, o padre Don Campana, sacerdote da província e paroquia de Modenese, Itália, tinha um grimório de magia negra com saberes de Salomão e de Cipriano, o bruxo. O grimório continhas fortes magias de amor, e os seus efeitos faziam com que qualquer pessoa embruxada se entregasse apaixonadamente a quem a tinha mandado embruxar. E as pessoas embruxadas pelo padre Italiano conforme os saberes de Cipriano, acabavam sempre por entregar-se ardentes de paixão, arrebatadas por irresistível luxuria, e irremediavelmente seduzidas.

Outros autores do inicio do cristianismo forneceram preciosas obras de magia negra para assuntos amorosos. Foi o caso do famoso matemático, geógrafo e cientista Ptolomeu ( n 100 d.C), que foi autor de vários tratados e compêndios de magia negra, descobertos apenas mil anos depois da sua morte. Alguns desses compêndios de magia negra, tal como os de Cipriano, revelavam formulas de magia negra infalíveis em assuntos amorosos. Um dos maiores exemplos, foi o célebre poeta Romano Virgílio ( 70-19 a.C), que dominou os segredos da magia negra, com os quais lançou uma forte amarração sobre a filha de um sultão, seduzindo assim a jovem para os seus braços. A donzela entregou-se-lhe completamente apaixonada, e casou-se com ele. Tal eram os efeitos das suas amarrações, que Virgilio acabou por ser o fundador de uma notória, mas secreta escola de magia em Nápoles. Sobre a origem dos seus trabalhos de magia negra e a fonte do seu poder, sabe-se que provem de um ancestral grimório que obteve por meios misteriosos. Os mesmos meios pelos quais s. Cipriano, o bruxo, obteve os seus tratados de magia negra. O advogado, clérigo e escritor inglês Gervase de Tilbury, ( 1150 – 1228), que esteve ao serviço do Rei Henrique II de Inglaterra ( 1133 – 1189), deixou escritos nos quais descreve como um inglês fora a Nápoles fazer escavações ao tumulo de Virgílio, e para seu grande espanto encontrou o corpo do bruxo e poeta completamente preservado. Junto ao seu corpo, encontravam-se vários livros de poesia, assim como vários grimórios de magia negra. Um deles, era o reputado Ars Notoria, ( mais tarde traduzido e publicado em 1657), um livro de necromancia de Salomão, e em especial o livro de Zabulon, um Príncipe Grego de origens Bíblicas que era conhecedor dos mais antigos e poderosos segredos da magia negra.

A luxuria, as heranças e o poder, eram as principais preocupações da aristocracia Europeia na Idade Media. E nesses campos, os saberes de s. Cipriano, o bruxo, ofereciam resultados espantosos. E as bruxas, faziam uso desses saberes para providenciar á sua clientela os mais fortes trabalhos de magia negra. Alguns deles, com sabedorias que já remontavam á Antiguidade.  O poeta romano Horácio ( 65 -8 a.C), deixou nota da bruxa Canidia, uma belíssima e fogosa bruxa rodeada de antigos livros com antigos encantamentos de magia negra. Já na Itália dos anos de 1499, houve uma famosa bruxa de nome Bernardina Stadera, que lançava bruxedos de amarração que deixavam os homens irremediavelmente encantados e apaixonados. A bruxa era amante de um padre, e o padre facultou-lhe a posse de um antigo grimório de s. Cipriano, o bruxo.

Johannes Trithemius ( 1426 – 1516), foi um monge alemão Beniditino, que foi um notório cronista, criptógrafo e ocultista. O abade Trithemius deixou notas historicamente documentadas sobre um poderoso tratado de magia negra que teve em sua posse, e que se tratava de um grimório de são Cipriano o bruxo (f. 258 d.C), nos quais se encontravam fortes bruxedos para o amor, e muitos outros segredos de magia negra. Obras raras e preciosas como a de Cipriano, o bruxo, eram tesouros de tal forma importantes, que vieram a influenciar toda produção de grimórios de magia negra ao longo da Idade Media, e posteriormente.

Cipriano (f. 258 d.C),  foi um dos maiores bruxos de todos os tempos, e isso está historicamente comprovado nos fabulosos textos encontrados sobre esse bruxo. Não admira por isso, que Cipriano apareça sempre mencionado pelos maiores autores dos mais célebres grimórios da história. E há vários exemplos disso:

O famoso «Compendium Maleficarum» , ou o «Compêndio das Bruxas» de 1608, do notório padre e demonologista Italiano Francesco-Maria Guazo (n. 1570), no capitulo VI do Livro I,  faz nota sobre os famosos trabalhos de magia negra de são Cipriano (f. 258 d.C), e como eles foram suportados pelo pacto que o bruxo Cipriano fez com o Diabo, e que lhe concedeu preciosos conhecimentos ocultos. São Cipriano consta do «Martyrologium Romanum» assinalado no dia 26 de Setembro, e porem aquilo que tornou este santo célebre não foi a sua curta carreira eclesiástica, mas sim a sua extensa e profícua vida de bruxo, e obra de magia negra.

Outro célebre autor que menciona são Cipriano, foi um dos mais reputados teólogos e demonologistas medievais, que foi o notório abade germânico Joahannes Trithemius ( 1462 – 1516). O abade beneditino foi autor de mais de oitenta títulos versando sobre preciosos saberes ocultos, e leu todos os grandes grimórios. Entre esses famosos grimórios, estava o «The Book of the Four Kings», ao qual Trithemius chamou de uma obra «pestilenta», e que atribui a origem destes «trabalhos amaldiçoados» a são Cipriano. A fama duradoura de são Cipriano vem não da sua vida religiosa, mas sim do facto dele ter sido um grande bruxo antes da sua conversão, e ter celebrado um Pacto com o Diabo.

E foi através desse pacto e dos auxílios do demónio, que o bruxo Cipriano realizou alguns dos mais espantosos bruxedos, cujos os efeitos lhe deram reputação pelos quatro cantos do mundo. Alguns desses trabalhos de magia negra eram fortes amarrações. Uma dessas amarrações, era a amarração do espelho de Cipriano.

Na Arménia, existiram vários manuscritos com bruxedos de Cipriano que sobreviveram ao passar do tempo. Chamavam-se os «Pergaminhos de são Cipriano», que mais tarde foram impressos em Constantinopla, em 1712. Foi depois do século XVIII que varias copias de escritos de são Cipriano começaram a circular pela Europa, e nesses escritos constavam formulas de magia negra infalível para casos de amor.

Um dos casos mais lendários sobre os escritos de são Cipriano, encontra-se documentado num grimório Espanhol do século XIX, onde se relata como no ano 1001 d.C um monge Alemão de nome Jonas Sufurino, bibliotecário do mosteiro de Brooken, invocou o Diabo no topo de uma montanha, e recebeu uma cópia do grimório de magia negra de são Cipriano como recompensa.

Houve um importante texto que sobreviveu aos tempos, e que se chamava «A arte de Cipriano». Na Arte de Cipriano, é fornecida uma série de cinco selos mágicos que desenhados num espelho com uma tinta vermelha especialmente preparada para a finalidade, e acompanhados dos correctos encantamentos de magia negra, permitiam fazer com que um demónio invocado permanecesse reflectido naquele espelho pelo tempo desejado, e aceitasse as missões que lhe fossem incumbidas. A obra «A Arte de Cipriano» foi preservada num manuscrito de Frederick Hockley ( 1809-1885), um importante coleccionador de material oculto.

Era com estes saberes de são Cipriano que as bruxas da Antiguidade lançavam uma das mais fortes amarrações que existem, pois que o demónio invocado pelo espelho mágico jamais largaria a criatura embruxada, senão quando ela estivesse nos braços de quem a mandou embruxar. E enquanto essa criatura teimasse em resistir, então nunca mais se livraria do demónio invocado, nem das suas assombrações. A pessoa não tem alternativa senão ceder. Fosse como fosse, a pessoa embruxada nunca mais se livrava do bruxedo, nem de quem a mandou embruxar. Nunca mais. Não havia escapatória. Nenhuma. E por isso, a pessoa não tem alternativa senão ceder. E cedia sempre. Por vezes, a pessoa entregava-se perdidamente apaixonada, arrebatadoramente seduzida, irresistivelmente enamorada.

Procura verdadeiras amarrações de s. Cipriano ?

Venha falar com quem sabe.

Escreva-nos!

© 2019, admin. Todos os direitos reservados. Copyright de trabalhosdemagianegra.com

This entry was posted in amarrações and tagged , , , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.