Amarrações de magia negra

Amarrações de magia negra

Nicolas Remy( 1530 – 1612), o notório demonologista Francês, autor do célebre grimório «Demonolatreiae», publicado em 1595, dá nota da existência das bruxas, a quem Remy observou pessoalmente e deixou testemunho directo de como a sua magia negra era poderosa. Na sua obra «Demonolatreiae», Remy menciona como as bruxas tem sempre ao seu serviço demonios menores, que podem ser conjurados através das suas varas magicas, ou dos seus pós mágicos, e dos seus ritos. Uma vez que as bruxas tem pacto firmado com o Diabo, e que esse pacto lhes confere a autoridade de Lúcifer perante os demonios, então essas entidades das trevas são obrigadas a comparecer ao chamamento das bruxas quando ele é feito através de bruxedo, e são obrigados a levar a cabo as demandas que as bruxas lhes encomendaram através da magia negra.

O bispo e historiador Eusebius de Cesareia, ( 163 – 339 d.C), faz citação a algumas fontes histórias que confirmam que demonios como as Lamias, ( demonios femininos dependentes da autoridade de Lilith), atormentavam amorosamente homens embruxados até ao ponto de os levar á loucura da luxuria. E essas Lamias não se podiam recusar á invocação de uma bruxa feita através de uma magia negra. Se o demonio menor se recusar, será visitado por um demonio superior que o castigará para além da compreensão humana. Por isso, os demonios menores ficam sobre especial influência das bruxas.  Essa é uma das grandes prerrogativas que a bruxa recebe em troca de ter celebrado pacto com o Diabo. E conforme a bruxa naquele momento do pacto se entrega lascivamente ao demonio e dele recebe na carne a sua marca da bruxa, pois ela recebe também um novo nome. O nome de baptismo da candidata a bruxa é riscado do Livro da Branco de Deus que está no céu, e um novo nome é inscrito no Livro negro do Diabo que está no inferno. Esse nome é como um selo que a faz ser reconhecida pelos demonios, e que garante que a cada bruxedo eles lhes respondem obedecem. E por isso, um bruxedo de magia negra feito por uma verdadeira bruxa, gera sempre efeitos infalíveis.

Jean Bodin ( 1520-96), foi um jurista e filosofo francês que se debruçou sobre o estudo da bruxaria. A publicação da obra «De lá Demonomanie des Sorcieres» em 1580 foi uma obra de referência no estudo da magia negra e da bruxaria. Bodin foi um dos primeiros autores da falar do termo «amarrações» ou «ligatures», através das quais as bruxas podiam constranger as pessoas espiritualmente, levando-as a entregar-se a quem as tivesse mandado embruxar. Os casos reais de magia negra e bruxaria que Bodin testemunhou inspiraram-no a escrever a sua obra, e deixaram um legado histórico sobre o poder dos trabalhos de magia negra, e das amarrações de magia negra.

Também quanto aos bruxedos de amarrações de magia negra, o célebre grimório Demonology (1597) do rei James I ( 1566 –1625), dá nota de como os trabalhos de magia negra «podem fazer homens ou mulheres amarem-se ou odiarem-se um ao outro, o que é bem possível ao Diabo, pois ele é um espírito subtil, que sabe bem como persuadir  afecto, corrompendo-o» e manipulando. Daí que quando se trate de uma amarração, não haja recurso superior ás amarrações de magia negra. Contra essas nada se consegue opor, e com esses qualquer caminho é desbloqueado.

Por volta dos anos de 1594, uma jovem mulher Francesa de Aquitaine foi corrompida por um homem italiano desconhecido que lhe apareceu, e a seduziu com os poderes que as sabedorias de magia negra podiam conceder. O homem italiano levou a jovem para um campo a meio da noite, e ali usou de uma vara magica para traçar um círculo no chão, enquanto entoava encantamentos ocultos lidos de um velho grimório com capa negra. Foi nesse momento que lhe apareceu um bode negro acompanhado de dois homens. Os homens eram padres apóstatas que haviam renunciado aos seus votos sacerdotais, e haviam celebrado pacto com o Diabo, havendo-se convertido e padres satânicos ou bruxos. Os padres satânicos estavam possuídos por demonios que falavam pelas suas bocas, e perguntaram ao italiano quem era a jovem mulher, ao que o italiano retorquiu que ela tinha sido recrutada para as fileiras do Diabo, para ser convertida em bruxa. Os padres desnudaram a bruxa, ajoelhando-a diante do bode negro cujos os olhos brilhavam de um vermelho flamejante, pois que nele havia incorporado Satanás. A jovem mulher beijando os cascos do bode negro, renunciou á fé na Igreja, na Virgem e todos os seus santos, tendo naquele momento jurado fidelidade ao Diabo. Foi então que a jovem foi lascivamente tomada por um dos padres, enquanto o outro entoava blasfemas orações litúrgicas de missa negra, e o italiano assistia ao profano rito. Em breve a jovem entregou-se indiscriminadamente em obscena luxurias aos padres satânicos diante da presença do Diabo incorporado no bode negro, ao passo que o homem italiano que se tornaria seu esposo permanecia observando o festim de heréticas abominações. No célebre grimório «Demonolatreiae», publicado em 1595, do notório demonologista Francês Nicolas Remy( 1530 – 1612), é dito sobre o Diabo que «O maligno perverso gosta de ter tudo pervertido e distorcido». Pois por isso, aquele que contrai matrimonio com uma bruxa, assiste e entrega a sua noiva satânica aos profanos caprichos do Diabo. Desse modo, a bruxa converte-se em bruxa e o seu esposo eleva-se na condição de bruxo, enquanto ambos se entregam em total submissão ao Diabo. Foi nesse momento que a bruxa de Aquitaine recebeu a sua marca de bruxa tendo celebrou pacto com o Diabo, e foi desse modo que a bruxa recebeu uma vara magica e pós mágicos que lhe permitam celebrar os mais fortes trabalhos de magia negra. Durante os ritos de magia negra, os padres satânicos ardiam velas negras durante todo o rito, e no final fizeram uma oferenda de moedas que foram deixadas numa cesta negra que estava diante do bode negro, o que constituía um costume litúrgico das missas negras, através do qual se oferecia tributo ao Diabo, conforme na Igreja se presta tributo a Deus. Foi com os conhecimentos que os padres satânicos deram á bruxa de Aquitaine, que ela celebrou os mais fortes trabalhos de magia negra. Alguns dos seus mais famosos bruxedos eram amarrações de magia negra. Nessas amarrações, a bruxa apelava a espíritos demoníacos que podiam influenciar os pensamentos e até os afectos das pessoas. Quando se tratavam destas amarrações de magia negra, elas eram imbatíveis. A pessoa amarrada acabava sempre arrebatadoramente apaixonada e irresistivelmente enamorada por que a tivesse mandado embruxar.

Procura verdadeiras amarrações de magia negra ?

Venha falar com quem sabe.

Escreva-nos!

© 2020, admin. Todos os direitos reservados. Copyright de trabalhosdemagianegra.com

This entry was posted in amarrações and tagged , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.