Amarrações definitivas

Amarrações definitivas

O célebre demonologista Pierre de Lancre testemunhou todas as realidades da bruxaria e magia negra, e vendo como eram reais e verídicas, foi com fundamento nas suas observações e notas pessoais que o demonologista escreveu varias obras influentes, tais como Tableau de L’Constance de Mauvais Anges de 1613, L’Incredulité et Mescréance du Sortilége de 1622, e De Sortilége de 1627. Nessas obras que Lancre descreve como no ano de 1612, aos dezasseis anos uma bela jovem de nome Jeannette d’Abadie foi seduzida pelo Diabo, que lhe pediu que renunciasse ao Criador, á Virgem, aos Santos e ao Baptismo, para se dedicar de coração á veneração a Satanás, que era Senhor da Terra e tudo aquilo que ela contem e nela ocorre, conforme o Deus do Céu era Senhor das Alturas Celestiais e daquilo que lá ocorre. A jovem fascinada pelo demónio renunciou á sua antiga fé, entregou-se lascivamente ao Diabo, e foi ali feita bruxa, recebendo a sua marca do Diabo enquanto era possuída carnalmente. Daí em diante seguiu o seu oficio de bruxa, consolando os desconsolados, e fazendo homens entregarem-se enamoradamente ás mulher que lhe solicitavam bruxedos, assim como encantando mulheres para se abrirem aos homens que as desejavam e que requisitavam os seus trabalhos de magia negra. Todas essas coisas a bruxa Jeannette fazia prodigiosamente, através das suas amarrações definitivas celebradas conforme os ensinamentos que o demónio lhe revelava nas noites em que visitava, e a tomava em profana luxuria. E o demónio visitou-a para o resto da sua vida.

Reginald Scot. ( 1538- 1599) , foi um notório demonologista Inglês, autor do reconhecido grimório «Discoverie of Withcraft» (1584). Na sua obra The Wicht, escrita em 1627 com Thomas Middleton ( 1580 – 1627), Scot dá nota da existência de um demonio chamado Malkin. O demonio Malkin apareceu a várias bruxas de Pendle, na floresta de Pendle. O demonio aparecia sempre nas ruínas de uma casa abandonada chamada Malkin Tower, que existia nos obscuros recônditos da floresta, perto de Lancashire. O demónio por vezes fazia manifestar-se em forma humana, porem outras vezes aparecia ás bruxas na forma de uma lebre. Foi este demónio que seduziu muitas das bruxas de Pendle, levando-as a celebrar pacto com o Diabo, e depois convocando-as a reuniões ou Sabbat celebrados na casa abandonada onde através de obscenos ritos as bruxas se entregavam lascivamente ao demónio, e se prestava culto a Satanás. Em recompensa, as bruxas recebiam instrução e segredos sobre as mais ocultas fórmulas de magia negra, através das quais celebravam os mais prodigiosos trabalhos de magia negra. Alguns desses célebres trabalhos de magia negra, eras as suas lendárias amarrações definitivas, que faziam qualquer pessoa amarrada ir entregar-se arrebatadamente apaixonada e irresistivelmente enamorada por quem a tivesse mandado embruxar.

Havia certo tipo de demónios a quem as bruxas da Idade Media recorriam na feitura das suas amarrações definitivas. Por exemplo, Maere, é um demónio sucubbus extremamente poderoso nesse tipo de bruxedo. O demónio foi de tal forma célebre na Antiguidade, que a palavra «pesadelo» em Inglês – nightmare – contem o termo Maere, que mais tarde evoluiu no Inglês moderno para Mare, resultando depois na palavra night-MARE, ou pesadelo, aludindo ás fortes assombrações nocturnas causadas pela manifestação desta demoniza. Nos seus escritos, o professor Thomas Oswald Cockayne ( 1807 – 1873), faz menção á etimologia demoníaca desta palavra inglesa, mencionando a sua origem.  As bruxas da Idade Media recorriam á invocação deste tipo de demónios, a fim de assombrarem os sonhos e a alma de homens a quem se tinha lançado um bruxedo de natureza amorosa, ( ou uma amarração), pois estas demonizas injectavam a sua vitima com apaixonados e tórridos desejos carnais. E por isso, passados tempos o homem embruxado, mesmo sem saber por qual motivo, acabava por ir entregar-se á mulher que o tinha mandando amarrar, ardendo de arrebatada paixão.

O Malleus Maleficarum ( 1486), dos demonologistas Jacob Sprenger ( 1438 – 1495), e Heinrich Kramer,  ( 1430 – 1505), afirma na sua questão VIII que «Deus dá poder ao Diabo sobre aqueles que dados á luxuria», e isso explica porque motivo as bruxas, mestras que são das artes da magia negra e da invocação do Diabo e todos os seus demónios, conseguem lançar trabalhos de magia negra particularmente poderosos, em especial quando se tratam de assuntos amorosos.

No «compendium maleficarum» , ou o « Compêndio das Bruxas» de 1608, é igualmente descrito como por volta dos anos de 1640, existiu uma bruxa de nome Francoise Prat conhecida por «boubellotte» , viúva com cinco filhos, que amarrou o marido para o ter, assim como depois , tendo-se aborrecido com o esposo por ter sido desprezada, o embruxou para o fazer sumir da sua vida. Três filhos eram do marido, mas dois eram do demónio que a possuía lascivamente nas reuniões de Sabbat satânico, assim como uma terceira gravidez foi interrompida para satisfazer os apetites do demónio. Também no seculo XVII; um outro bruxo de nome Vicent Deimdou, e uma bruxa chamada Marguerite Labard, cuja a alcunha era «a pomba», também participaram nos mesmo Sabbat satânicos que a bruxa «boubellotte», ajudando-a a fazer as mais fortes amarrações que favoreciam ás mulheres que procuravam ter um homem que desejassem. E conforme a bruxa «boubellotte» fez os homens da sua vida aparecerem e desaparecerem conforme os seus desejos, pois o mesmo também o fazia para a inúmera clientela que a procurava. Um homem embruxado com as suas amarrações, acabava sempre irresistivelmente enamorado, ardentemente apaixonado e hipnóticamente entregue á mulher que o tinha mandado amarrar, como se não houvesse outra mulher no mundo. As suas amarrações definitivas eram prodigiosas.

Procura verdadeiras amarrações definitivas ?

Venha falar com quem sabe.

Escreva-nos!

© 2019 – 2020, admin. Todos os direitos reservados. Copyright de trabalhosdemagianegra.com

This entry was posted in amarrações and tagged , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.