Trabalho de magia negra, para separar casal

Trabalho de magia negra para separar casais, trabalho de magia negra para afastar fulana rival,

Johannes Hartlieb ( 1400-1468), que serviu o duque da Baviera em Munique, d 1456 a 1464 escreveu a obra Das Puch aller verpoten kunst – «The Book of all forbiden arts» , ou «O livro das Artes Proibidas», no qual se debruça profundamente sobre o estudo da bruxaria, da necromancia e da magia negra. Nessa obra Hartlieb afirma que «aquele que quer praticar estas artes negras, deverá fazer variadas formas de oferendas ao Diabo, jurar-lhe votos, e estar em aliança com ele». Também no século XVI, Cornelius Agripa descreveu as artes da magia negra nestes mesmos termos.

Por isso, as artes da magia negra são perigosas e devem ser lidadas apenas por quem as domina. Por assim ser verdade, é que nos séculos já idos e passados, apenas bruxas, padres satânicos e freiras satânicas dominaram com sucesso as artes proibidas da magia negra, oferecendo a quem os procurava os mais espantosos resultados. E muitos dos fortes trabalhos de magia negra celebrados nesses tempos com recurso aos mais ocultos Grimórios de magia negra, eram trabalhos para separar casal, assim como trabalhos para afastar rivais.

Quantas vezes uma mulher deseja ou ama um homem, e porem esse homem encontra-se nas mãos de outra fulana rival?, ou a viver um outro relacionamento?

Pois esse é um dos dilemas mais dolorosos para uma mulher que ama um homem, e porem viu esse homem ser-lhe roubado por outra mulher, ou então esse homem é casado, ou tem uma amante, ou é noivo de outra mulher, ou namora com outra mulher. Seja qual for a situação, a verdade é que a existência de uma fulana rival pode causar um imenso tormento sentimental.

Assim sendo:

Nesses casos, a magia negra tanto pode abrir caminhos a fechar caminhos, como pode fechar caminhos a que se abram caminhos.

Quer isso dizer:

a magia negra pode – de uma forma ou de outra – enguiçar e trancar todos os caminhos na vida de um casal, e por isso a magia negra tem sido muito útil em tais assuntos envolvendo uma fulana rival, sempre com taxas de sucesso irrepreensíveis.

Para isso, deve-se fazer uso da bruxaria para separar casais.

No trabalho de magia negra para separar casais, o alvo da bruxaria começa por ser a mulher rival, pois que se é pela carne da mulher que a vida nasce neste mundo através do milagre da gravidez e do parto, ( que é o cimento de um casamento), pois é também pela carne da mulher rival que o inverso ocorre, ou seja: é ali que se pode fazer o oposto do cimento que une, que é o espinho que desune, e assim semear a desunião e a separação de um casal.

Como é feito o trabalho de magia negra para separar casais?

Em 1428, a Itália da Idade Media teve uma das suas mais famosas bruxas da época, a bruxa Matteuccia. A bruxa residia nos arredores de Perugia, perto de Umbria, no centro de Itália. A bruxa era conhecida por usar uma unção esfregada pelo seu corpo nu, que invocava irresistivelmente o Diabo. A fórmula da unção havia sido escrita há muito por uma velha bruxa, e foi-lhe dada pelo próprio Demonio. Usando-se da unção no corpo de uma bruxa, a sua fragância atraia o Demonio de forma quase imediata, vindo ele sempre com desejo ardente de possuir a bruxa, para depois lhe conceder todos os favores que lhe fossem pedidos. A formula era feita a partir de alguns ingredientes conhecidos, e outros desconhecidos. Entre aqueles que se conheciam, estava a gordura de defuntos que não houvessem sido baptizados, cascos de mula-fêmea, penas de certas aves, ossos de defuntos pagãos da antiguidade, e outros mais ingredientes, tudo ardido e reduzido a um pó, que depois era usado para fabricar o unguento. Por dominar tais fórmulas que até ao Diabo seduziam, é que a bruxa ficou famosa pelos seus trabalhos de magia negra para o amor, pois que se nem demónios lhe resistiam, então ainda menos os homens embruxados. Porem, se a magia negra da bruxa era forte para unir casais, tambem era devastadora para os separar. A bruxa Matteuccia celebrava os seus sabbat satânicos junto da árvore de nogueira de Belavento, onde ali se reuniam bruxas e demónios para prestarem culto a Satanás. Nesses sabbats, juravam fidelidade a Satanás, prometiam espalhar a obra da magia negra pelo mundo, e produziam trabalhos de magia negra, alguns feitos de ingredientes como gordura de abutres, pó de morcego, e sangue de criaturas de tenra idade. A bruxa Matteuccia visitava a árvore de nogueira ás segundas, sábados e domingos, que foi quando o Demonio lhe ordenou que ali fosse. Dai a bruxa ia para a casa de uma senhora de nome Andreucia, no castelo de Montefalco, onde a mulher lhe reservava criaturas de tenra idade para se lhe sugar o sangue, usado que era nos ritos de magia negra. A rica mulher do castelo encomendava todo o tipo de trabalhos de magia á bruxa Matteuccia, pois as bruxarias eram fortes e a sua fama era reconhecida por toda a Itália. A bruxa Matteuccia tanto podia agir para favorecer o desejo amoroso, como para o arruinar, causando impotência sexual aos homens. Para o fazer, acendia uma vela numa encruzilhada de três estradas, sendo a vela antes baptizada em nome do homem que se pretendia embruxar. O bruxedo era feito recitando um encantamento em latim, e dobrando ou vergando a vela enquanto a olhava fixamente, assim lançando-lhe um forte mau olhado. A vela era sepultada na encruzilhada, e enquanto ali permanece-se sepultada, dobrada e vergada, também vergado e morto permaneceria o sexo do homem, assim arruinando-se-lhe a vida sexual. A bruxa ficou famosa por ter feito este bruxedo a um rapaz que se tinha sido oferecido pelos pais em casamento a uma certa jovem, e cuja a mulher apaixonada e abandonada se quis vingar. Soube-se assim que a noite de núpcias do casal ficou arruinada, para grande infelicidade da jovem noiva.

Houve também o caso de uma mulher que amando um homem, desejava que ele se separasse da mulher. A bruxa Matteuccia lançou um trabalho de magia negra ao casal através uma água amaldiçoada preparada no seu caldeirão, e borrifada sobre efígies representando ao casal. Passados tempos os efeitos ocorreram, pois o casal odiava-se.

A fama da bruxa Matteuccia tornou-se de tal forma célebre, que chegou aos ouvidos de são Bernardino ( 1380 – 1444), que curioso se deslocou de Sena a Todi – onde a bruxa Matteuccia residia na altura – para assistir a tais prodígios heréticos de magia negra, e assim dando-se testemunho dos seus lendários trabalhos de magia negra.

Houveram outros casos historicamente documentados sobre trabalhos para separar casais, e que demonstraram temíveis resultados. Um deles, sucedeu com uma das famosas bruxas de Connecticut nos Estados Unidos, que foi a bruxa Mary Johnson. Em 1647, a própria bruxa  admitiu ter sido visitada e seduzida pelo Diabo, que lhe apareceu primeiramente incorporado na forma de um gato preto, e depois manifestando-se – através de possessão demoníaca – num homem. Johnson teve relações luxuriosas com o demonio, celebrando Pacto com o Diabo, e entregando-se aos caminhos da magia negra. O sangue usado na celebração de um pacto, torna-se sangue de bruxa, por contacto com o pacto. Usando de gotas do seu próprio sangue com que havia celebrado pacto, derramadas no seu caldeirão de bruxa onde eram mergulhadas efígies representativas das vítimas, e lançado o seu mau-olhado sobre as figuras que ardiam no caldeirão, a bruxa conseguia infestar fosse quem fosse de forte bruxedo. Era como se as labaredas do próprio inferno fossem chamadas a entrar nas criaturas embruxadas. Mary Johnson celebrou diversos trabalhos, um dos quais para separar um casal. O trabalho de magia negra foi de tal forma forte,  que afectou o bebé de um casal. Teimando o homem embruxado em resistir ao bruxedo, e teimando em não se separar da mulher para ir assumir a amante que o mandou embruxar, então a maldição gerada pelo bruxedo acabou por enfraquecer a saúde do bebé do casal, assim como gerando todo o tipo de problemas matrimoniais, que jamais cessariam senão com a separação do casal. O caso tornou-se célebre na altura, e a bruxa tornou-se tão lendária como temida.

O trabalho de magia negra para separar casais deve ser feita junto do muro de um cemitério. No chão junto ao muro do cemitério – e com cré sagrado – deve ser desenhado o sigilo oculto de um demónio específico, que é o demónio responsável pela ira, pela desarmonia e pelo desentendimento entre as pessoas. Não se use deste trabalho de magia negra sem ter profundos conhecimentos de demonologia e magia negra, pois quem invoca a entidade errada acabará colhendo efeitos errados, ou seja: acabará sofrendo na sua alma e no seu corpo os tormentos dos infernos. Por isso: quando quiser um trabalho de magia negra para separar casais – ou um trabalho de magia negra de verdade – não se meta a mexer naquilo que desconhece, e consulte um bruxo experiente, conhecedor e profissional.

No trabalho de magia negra para separar casais, é necessário recorrer-se de uma vela negra de magia negra com a forma genital feminina, que é ungida com gordura animal provinda de uma oferenda de gado negro feminino. Na vela negra de magia negra, deve ser inscrito o nome da mulher rival que se pretende afastar do homem, isso deve ser feito com uma estaca de prata. Depois, a vela negra de magia negra deve ser ungida em sangue de galo preto acabado de oferendar ali junto ao muro de cemitério.

No trabalho de magia negra para separar casais, eis que na área genital feminina devem-se cravar 5 alfinetes de prata, e sobre os alfinetes e a figura genital feminina deve-se polvilhar 3 doses de pó negro de maldição.

No trabalho de magia negra para separar casais, o pó negro de maldição usado na bruxaria para separar casais, é um pó preparado em cemitério ao longo de 6 noites de Lua Cheia, e esse pó de magia negra é preparado conforme uma fórmula secreta na qual se faz uso de ingredientes como:

enxofre, ossos moídos de defunto com 7 meses de sepultura, plantas negras ocultas, cré que foi consagrado e moído em encruzilhada assombrada, belladona, pó de sangue de morcego coagulado, raiz de heléboro, escamas de serpente negra, acônito, e muitos outros ingredientes de formulas de magia negra que são conservados em segredo há séculos.

Alguns dos segredos destas ancestrais formulas, são de certa forma referidos e mencionados na obra Metamerphoses de Apulileu, autor romano do seculo II a.C. Silvestre Prieirias ( 1456-1527), foi um teólogo dominicano que no século XVI também escreveu sobre alguns aspectos dos ingredientes usados em unguentos das bruxas.

Esta formula de pó negro de maldição é um segredo de bruxaria bem conservado. Quem usou desta formula com grande sucesso na Idade Média, foram freiras que secretamente se entregaram á bruxaria e a Satanás através de Pacto demoníaco. Essas freiras passaram mesmo a ser chamadas de freiras satânicas, pois ter-se-iam deixado corromper e subverter pela influencia do Diabo. Neste caso,  estas freiras foram abordadas um demónio feminino que tem especial gosto em seduzir e possuir freiras. Os factos ocorreram num convento na península ibérica, Dizem as lendas que foi o próprio demónio que lhes revelou a formula deste pó negro através de sonhos satanicamente induzidos pelo Diabo.

Sobre o aparecimento das freiras satânicas que realizam trabalhos de magia negra e bruxaria, há vários exemplos e factos históricos. Um dos mais conhecidos, ocorreu no convento de Capri, nos anos 1630. Ali, a famosa irmã Dealta Martinelli foi uma das freiras seduzidas pelo demónio, e que se dedicou á pratica da bruxaria. A freira entregou-se carnalmente ao Diabo que a possuiu em acto de impura lascívia carnal. Pela consumação de pecado e sacrilégio com uma irmã reservada a Deus, profanando com ela os sagrados votos do celibato, o Diabo selou com a freira o seu Pacto demoníaco, e em troca concedeu-lhe grandes poderes nas magias de amor. A freira Dealta acabou por recrutar outras irmãs do convento, sendo que o sucedido acabou por chegar á atenção da Santa Inquisição, uma vez que os eventos sobrenaturais e heréticos ocorridos no convento tornaram-se conhecidos. As freiras possuídas eram descritas como frequentemente “jogando-se no chão, gritando abruptamente sem provocação, sofrendo súbitas mudanças drásticas na temperatura do corpo, manifestando feições animalescas assustadoras, ficando com os corpos retorcidos em posições inumanas, voando de um sitio para o outro como se fossem bonecos manipulados no ar, e depois caindo precipitadamente em um sono profundo do qual não podiam ser despertadas” A Inquisição local interrogou as freiras, assim como os exorcistas do Vaticano entre Abril de 1638 e Fevereiro de 1639. Várias freiras acabaram por confessar a origem do fenómeno, que residia na freira Dealta Martinelli, revelando que a freira teria sido seduzida pelo demónio, e com ele firmado pacto demoníaco, através do qual recebeu os dons da bruxaria. A freira praticava assim poderosos bruxedos de magia negra, e muita gente recorreu secretamente dos seus préstimos. A freira satânica resolvia com impressionante sucesso tudo que eram problemas relacionados com amor e luxuria, e a sua fama tornou-a celebre na feitura de magia de amor. Ela e as suas companheiras de bruxaria ficariam conhecidas como as freiras satânicas.

No trabalho de magia negra para separar casais, o uso deste tipo de pó atrai forças espirituais de trevas e malignas, infestando a criatura embruxada com uma maldição que não pode ser desmanchada nem aplacada.

No trabalho de magia negra para separar casais, o trabalho deve ser sepultado junto do muro do cemitério, pois enquanto aquele muro ali permanecer conservando os defuntos no cemitério, pois também um muro de espinhos e tormentos será erguido entre o casal que se pretende separar. Deve-se repetir este procedimento de bruxaria para separar casais ao longo de 13 noites, e  assim estando feito então de 13 noites em 13 noites esse casal será fustigado pela maldição da bruxaria para separar casais, e assim será ate que o casal se separe, e por isso o casal separar-se-á para jamais se unir.

Que efeitos tem a bruxaria para separar casais?

No trabalho de magia negra para separar casais, a mulher rival vai ser todas as noites assombrada por espíritos de trevas e aparições num purgatório de infernais tormentos, a mulher rival vai empalidecer, a mulher rival vai perder o interesse sexual pelo homem, a mulher rival vai-se desmazelar, a mulher rival vai andar triste ou apática, a mulher rival vai ficar silenciosa e fechada sem silêncios, a mulher rival vai mesmo padecer de padecimentos genitais, a mulher rival vai esfriar os seus sentimentos, e no relacionamento dessa mulher rival vão começar a ocorrer discussões, desentendimentos, desavenças e discórdias recorrentes.

No trabalho de magia negra para separar casais, tudo isso vai suceder passo a passo, paulatinamente e gradualmente, para que ninguém suspeite que o casal foi embruxado com bruxaria para separar casal. Por isso vão haver momentos de grande inferno no casal, e depois as coisas vão serenar passageiramente, e depois vai voltar o inferno, e assim se repetirá de 13 noites em 13 noites até o casal não aguentar mais e se separar.

Resultado do trabalho de magia negra: estando o trabalho de magia negra feita, a criatura embruxada será infestada de espíritos, e em espirito atormentada e fustigada até ceder ao mandante do bruxedo. Teimando e resistindo, então os espíritos permanecerão a assombrar e castigar a alma da criatura embruxada, paulatinamente aumentando o purgatório de padecimentos e assombrações até a pessoa ceder. Cedendo o sofrimento cessará, e porem persistindo em resistir então o padecimento persistirá a fustigar sempre sem cessar, sempre paulatinamente aumentando degrau-a-degrau, até ao ponto da desgraça dessa pessoa. Em suma: não há escapatória. A pessoa embruxada nunca mais se livrará do bruxedo, nem da sombra de quem a mandou embruxar. Nunca mais. Seja homem, ou seja mulher. Seja teimoso, ou não.

Há casos historicamente documentados de trabalhos de magia negra desta natureza. Um deles, foi o das bruxas de Magee. Estranhos eventos começaram a suceder na ilha de Magee, na Irlanda. O caso sucedeu por volta de 1711, quando a casa e propriedade de James Haltridge , filho de um pastor presbiteriano, começou a sofrer de estranhos fenómenos. Fosse o proprietário, ou a família, ou os empregados da casa, os residentes daquela propriedade viam os lençóis das suas camas serem puxados por uma pessoa invisível, pedras eram jogadas aos vidros da habitação sem que ninguém lhe tocasse, pessoas tropeçavam ou eram atiradas para o chão por uma presença invisível, louça caía ao chão sem ninguém lhe mexer, objectos desapareciam para reaparecerem invertidos noutro local, e chegaram mesmo a encontrar-se crucifixos misteriosamente virados de cabeça para baixo. Certa noite ao recolher aos seus aposentos, a  mãe de Haltridge  sentiu uma mão tocar-lhe nas costas, e passados dias estava morta. Os rumores espalharam-se, e as pessoas da vizinhança começaram a suspeitar da presença de uma bruxa, de bruxedos e de magia negra. Logo após a morte da mulher, uma jovem rapariga que frequentava a casa de James Haltridge – de nome Mary Dunbar – , começou a manifestar sintomas de possessão demoníaca. Mary Dunbar afirmava que tinha visões nas quais estava a ser atacada por varias mulheres, e era quando estava assolada por essas visões que entrava em transe, perdia controlo sob o seu corpo, e ficava possessa, sofrendo de violentas convulsões. Confirmava-se assim a existência de uma bruxaria. Foram descobertas sete bruxas nas imediações, a quem chamaram as bruxas de Magee. Diante das bruxas, e havendo as bruxas sido ordenadas a libertar a empregada da possessão demoníaca, a jovem May Dunbar inexplicavelmente vomitou penas de aves pretas, alfinetes pretos, botões de um colete de homem , e outros objectos usados nos trabalhos de magia negra feitos pelas sete bruxas. Diz-se que  James Haltridge e Mary Dunbar tinham um caso amoroso, motivo pelo qual uma outra mulher enciumada mandou embruxar a ambos, a fim de impedir aquele relacionamento, e separa-los. Como eles teimavam e resistiam ao bruxedo que os infestou, então os padecimentos começaram a suceder-lhes, fosse pela morte da mae de James, ou os tormentos sofridos por Mary. Assim se vê que quando alguém resiste a um trabalho de magia negra, é assim que o trabalho de magia negra opera, ou até que as pessoas cedam, ou até ao ponto da desgraça.  È esse o teemivel resultado de um trabalho de magia negra. E neste caso, James e Mary apenas evitaram as suas próprias desgraças, pois as 7 bruxas de Magee havendo sido descobertas, então desfizeram o trabalho de magia negra.

Trabalho de magia negra para separar casais?

Trabalho de magia negra para afastar fulana rival?

Escreva-nos!

Trabalhos de magia negra, magia negra, amarrações. O altar de baphomet é uma Associação de natureza religiosa – informal e sem personalidade jurídica – fundada em 2011, e conforme os termos da Lei 16/2001 de 22 de Junho.O altar de baphomet é um altar privado de culto religioso privado e fechado. O altar de baphomet exerce os seus préstimos espirituais online, já há quase 1 década aqui abrindo caminhos nas causas mais impossíveis. No altar de baphomet praticam-se as artes da magia negra, invocações de espíritos de trevas, conjuraçoes de demónios, assombrações e aparições. Celebram-se missas negras para todos os fins: amarrações de casal, separações de casal, bruxaria de vingança, bruxarias de justiça, trabalhos de magia negra para afastamento de pessoas indesejáveis, trabalhos de magia negra para todos os fins.Desde 2011 a providenciar sucessos e vitorias, nos casos mais difíceis e desesperados.

© 2019, admin. All rights reserved.

This entry was posted in trabalhos de magia negra and tagged , , , , , , , , , , , , . Bookmark the permalink.